Imagine Hot Louis



Fazia quase uma hora que você estava esperando Louis aparecer. Depois de quase seis meses namorando, haviam terminado por conta da distância e das fãs que não conseguiam aceitar o namoro de vocês. Ainda eram amigos, mas era difícil de se encontrarem sem ninguém saber ou apenas por não ter tempo.

Olhou novamente para o relógio de pulso e levantou da mesa indo até o caixa pagando o café. Olhou pela janela para o temporal que caía e suspirou. Não havia vindo de carro, sorte que seu apartamento era próximo.

Assim que saiu pela porta da cafeteria, sentiu os pingos de água gelada bater a encharcando. Correu até o próximo toldo com o som do seu sapato batendo pelo asfalto. Tá, morar em Londres era uma surpresa a cada dia. Sabia que deveria ter levado um guarda-chuva, mas contava que Louis iria aparecer com o seu Audi ou sua Ranger Rover para te salvar de pegar um resfriado.

Assim que alcançou a porta de seu prédio, ouviu uma buzina atrás de você. Se virou e viu o carro de Louis parado ali, e ele a olhando com uma enorme cara de desculpa. Tudo o que você fez foi se virar novamente e entrar no prédio. Assim que a porta do elevador se fechou, você viu Louis correndo um pouco molhado até o Hall de entrada.

Você começou a vasculhar sua bolsa procurando as chaves do apartamento, mas não a achava. Saiu do elevador e andou até sua porta ainda procurando a chave o mais rápido possível. Assim que a achou e abriu a porta, viu Louis subindo correndo pelas escadas e sem fôlego.

Revirou os olhos e entrou em casa deixando a porta aberta para ele entrar. Jogou sua bolsa no sofá e tirou seus sapatos, os levando para a cozinha.

– Sério… – Louis disse ainda sem fôlego. – Se ia me deixar entrar, porque me fez subir as escadas correndo?

– Não fiz você fazer isso. Fez porque quis. E digamos que eu queira que você sofra um pouco. – você andou até o quarto pegando duas toalhas. Jogou uma para ele e a outra enrolou no cabelo tirando seu casaco encharcado e jogando no chão.

Começou a tirar a calça e a blusa e jogou no mesmo lugar se enrolando na toalha que antes estava em seu cabelo. Viu Louis te olhando.

– O que foi? - você disse parando e olhando para ele. - Você já viu tudo isso? Qual é o problema? Até porque, sutiã e calcinha é como biquine.

– Nada, é só que… - ele começou a secar o cabelo para disfarçar e deixando a frase morrer ali.

Você revirou os olhos e olhou para a porta do apartamento ainda aberta. Caminhou até ela e quando foi fechá-la, seu vizinho da frente saia com o lixo.

– Oi. - ele disse te olhando de cima a baixo.

– Oi. - você deu um sorrisinho. Fala sério, ele era um gato! Loiro dos olhos azuis, corpo definido, algumas tatuagens, e ainda era modelo para a CK. - Chuva forte. - você encostou a porta um pouquinho atrás de si para Louis não escutar e ir atrapalhar a conversa.

– É. - ele soltou uma risadinha. - Vou indo então.

– Tudo bem. - você sorriu e acenou. - Mande lembranças para o Roger. - o cachorrinho dele.

– Pode deixar. - e soltou uma gargalhada.

Você entrou novamente no apartamento e deu de cara com Louis te encarando.

– Ai que susto criatura. - você levou a mão ao peito sentindo o coração bater mais rápido.

– Mande lembranças ao Roger. - ele disse tentando imitar a sua voz.

– Idiota. - você revirou os olhos. - Para de ciúmes Tomlinson.

– Não estou com ciúmes, só acho que você poderia deixar de ser tão bobinha perto dele.

– Não se esqueça que já fui assim por você, e que eu saiba, você nunca reclamou. Sério, para de ciúmes, ele é meu vizinho. - você caminhou até seu quarto pegando seu moletom e o colocando.

Louis mecheu em uma gaveta e tirou uma blusa seca e uma bermuda de lá. Não, ele ainda não havia retirado todas as suas coisas de lá. Caminharam até a sala para assistir um filme. Louis foi até a cozinha preparar a pipoca enquanto você pegava o filme.

– Fala sério, vou ficar acordada a noite inteira agora. - você reclamou assim que ele voltou com as pipocas.

– Porque? Vai madrugar na TV? - ele perguntou.

– Não, porque eu fui obrigada a tomar um café sozinha. - você tocou no assunto de antes.

– Desculpa. Mesmo. Eu fiquei preso em uma reunião da banda com os meninos. - ele fez cara de cachorro sem dono.

– Mas nem para mandar um mensagem sequer? Um toque no meu celular? - você perguntou magoada e nem fazia questão de esconder.

– Me desculpa. Não foi por querer, mas eu nem lembrei disso na hora. Estavam falando de tantas coisas ao mesmo tempo, e perdi a hora. – ele se aproximou de você no sofá.

Você não parava de olhar para aqueles lindos olhos azuis. Levou sua mão até o cabelo dele e a deixou lá.

– Louis. – você o chamou.

– O que? – ele perguntou ainda te olhando.

– Não quero assistir filme. – você disse se aproximando dele.

– Muito menos eu. – ele terminou com o espaço entre vocês e te beijou.

Ele te puxou para mais perto dele, fazendo com que você subisse no colo dele. Você encaixou suas pernas na cintura dele e apoiou suas mãos no ombro dele. Ele apertou um pouco forte sua cintura e parou o beijo por falta de ar.

– Não fala nada. – você disse levantando e o pegando pela mão o levando par ao quarto. – Antes que eu me arrependa.

– Não vai mesmo. – ele soltou uma risada e te pegou pela cintura te levando para o quarto correndo.

Ele te jogou na cama com cuidado e logo depois voltou a te beijar. Ele apertava sua cintura e você arranhava as costas dele por cima da blusa que ele usava. Ele se separou apenas para dar tempo de você arrancar a blusa dele a lançar para o outro lado do quarto. Ele tirou a sua e te olhou.

– Sério, como eu estava com saudades disso. – você gargalhou e o puxou pelo pescoço novamente.

Ele começou a deslizar a mão pelas suas costas, sua cintura e seus seios. Ele os apertava, fazendo você soltar gemidos baixos, e logo depois começou a beijar seu pescoço. Ele descia lentamente até seus seios só para te provocar. Acabou tirando seu sutiã e o jogando no pé da cama. Ele apertava, massageava e abocanhava. Ia descendo com os beijos para sua barriga. Chegou perto do cós da calça e beijou lentamente sua barriga e logo depois passou a língua por lá, e voltando aos seios.

Ele desceu sua calça, e olhou para sua calcinha de renda que cobria sua intimidade. Começou e descer os dedos até lá e massageou. Você arqueou as costas só com aquele toque. Ele começou a fazer movimentos de sobe e desce por cima da calcinha, e você se segurava nos lençóis enquanto gemia baixo.

Você o puxou para cima o beijando novamente e dessa vez ficando por cima. Desceu o beijo para o pescoço e logo depois para o tórax, arranhando um pouco. Desceu as mãos para o cós da calça dele e puxou, o deixando apenas com a boxer preta que usava. A retirou também, deixando a mostra seu membro.

Louis engoliu seco. Ele estava mais do que excitado. Mais do que isso… Você massageava e fazia os movimentos de subir e descer com a mão. Passou a língua devagar, e o sentiu tremer. Soltou uma pequena risada e o abocanhou finalmente. Fazia todo o trabalho, digno de um verdadeiro blow job.

Assim que terminou, o deixando mais excitado ainda, foi para cima dele e sentou em cima de sua barriga. Ele a posicionou bem, e então começou a penetração. Você apertava os lençóis em volta dele, e gemia o nome de Louis em seu ouvido. Ele segurou em sua mão com uma das suas e com a outra segurou sua cintura. Você fazia os movimentos de sobe e desce em cima dele, um gemendo o nome do outro. Chegaram ao clímax juntos, e acabaram cansados, e deitados na cama abraçados.

– Louis. – você o chamou.

– O que foi? – ele perguntou olhando para você e passando a mão pelos seus cabelos.

– Como a gente fica? – você disse um pouco enrolada. – Quer dizer, o nosso relacionamento. As suas fãs me odeiam.

– Mas eu não te odeio. Muito pelo contrário, eu te amo. É com você que quero compartilhar todos os meus sonhos e minha felicidade. Esse momento único que quero passar com você, não tem como passar com outra pessoa, e nem os meninos. Até porque, não dá para fazer sexo com eles. – você riu e lhe deu um tapa no ombro. – Você é minha, sempre foi, e sempre será.

– Eu te amo. – você disse para ele sorrindo.

E se beijaram novamente.

5 comentários:

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥