Imagine Hot Harry



Harry’s POV

Entrei na casa dela sem saber exatamente por que. Não Harry, pare de se iludir, a razão é que você não consegue mais tirar ela do pensamento. Lembrei-me de hoje mais cedo, quando ela entrou na sala com toda sua imponência e todos os homens da sala a olharam com desejo, naquele momento eu queria possuí-la ali em cima da mesa, sem me importar com quem quer que nos visse. Niall que sabia de minha situação apenas riu... Era completamente estranho estar apaixonado pela irmã de um dos meus melhores amigos. A garota que deveria ser como minha irmã mais nova, uma vez que era assim que ela me tratava. Como um irmão. Eu diria que a casa estava vazia se não fosse um barulho vindo da cozinha e um do quarto de dela. Andei até meu quarto jogando as roupas que eu vestia lá, ficando apenas com a boxer como de costume e fui até o imenso quarto dela tentando ignorar a convidativa cama, me aproximei da porta do banheiro e pensei em bater, levantei a mão e parei no meio do caminho quando um som atingiu meus ouvidos. Um gemido. Um gemido baixo e contido, mas que foi o suficiente para fazer meus sentidos despertarem, será que tinha alguém lá dentro com ela? Eu sabia do risco, mas ainda assim eu entrei. Abri a porta suavemente e entrei andando a passos silenciosos. Nunca. Nunca em toda a minha vida eu havia visto uma cena tão sexy. A garota estava com as costas coladas a parede, a água escorria por seu corpo me fazendo sentir inveja. Ela tinha dois dedos dentro de si, enquanto a outra mão acariciava o próprio seio, mais um gemido foi ouvido e eu olhei para seu rosto. Ela tinha uma expressão de sofrido prazer, como se aquilo fosse errado, mas ela estava encantadoramente linda, e extremamente sexy ao mesmo tempo. Os olhos fechados fortemente, a boca entreaberta, as bochechas levemente coradas... tudo nela era provocante. Fiquei estático sentindo meu corpo formigar, eu sei que não devia ficar ali, mas simplesmente não conseguia sair, a excitação já havia me envolvido também, e percebi que ela aumentava cada vez mais o movimento de sua mão, foi então que eu ouvi. Em alto e bom som, “Harry” em meio a um gemido. Aquilo foi tudo que eu precisava pra ficar completamente duro. Era em mim que ela pensava. Era meu toque que ela queria, meu corpo que ela desejava. Joguei minha cueca longe e sem pensar duas vezes entrei no box. A garota abriu os olhos assustada e seus olhos azuis se encontraram com meus olhos verdes. Ela tirou a mão de dentro de si rapidamente e abaixou a cabeça. Eu cobri a distância que havia entre nós. A segurei pela cintura prendendo seu corpo entre o meu e a parede. O corpo dela pegava fogo e eu tive que me controlar pra simplesmente não invadi-la com minha masculinidade e acabar com o desejo de ambos. Ela não olhou pra mim. Tirei uma mão se sua cintura subindo por seus braços que se arrepiaram imediatamente me fazendo sorrir. Acariciei seu ombro e seu pescoço, até que cheguei em sua face que continuava voltada para o chão, acariciei suas bochechas e em seguida segurei seu queixo e a obriguei olhar pra mim. Ela fechou os olhos e uma lágrima escorreu me fazendo franzir o cenho. O que foi anjo?- eu perguntei baixinho secando a lágrima com uma mão enquanto fazia carinho em sua cintura com o polegar. Eu... Desculpe- ela abaixou a cabeça novamente e eu sorri.Ela é virgem. Uma voz ecoou em minha mente. Ela podia ser a toda poderosa senhorita Horan no dia a dia da empresa. A inalcançável, e inabalável, mas na verdade era apenas uma garota meiga e isso era uma das coisas que mais me encantavam nela. Fechei os olhos respirando fundo tentando controlar meus próprios desejos. Eu havia sido o primeiro a beija-la e seria o primeiro a possui-la, a ideia de estar dentro dela fazia cada mínima célula de meu corpo clamar por ela. Sai de meus devaneios e acariciei sua face novamente.< Desculpa porque? - Eu falei baixinho. Por isso... Eu não tenho direito de... pensar essas coisas sobre você! Eu... Desculpe Harry!- ela disse e fez menção de se afastar de mim.
– Harry, é errado- ela disse e me parecia que ela tentava convencer a si mesma.
– Hey, nós somos amigos, não irmãos- eu disse lhe dando mais um selinho.
– Mas Harry...
– Shh... – eu disse baixinho em seu ouvido e em seguida mordi o lóbulo de sua orelha quando ela tentou se afastar- Não faz isso, não se afasta de mim... Eu preciso de você ... Me deixa te amar, me deixa te fazer minha- eu disse e fiz uma leve pressão em seus quadris com o meu e ela soltou um leve gemido – não pensa, só me deixa te fazer minha... Vem comigo.
Olhei para ela e vi que seus olhos ardiam, ficamos ali, apenas nos olhando enquanto a água caia sobre nossos corpos, eu temia a resposta dela, eu não aguentaria não tê-la, e quando eu já não sabia mais o que fazer ela reagiu. Observei - a soltar o ar pesadamente e me olhar. Um sorriso se abriu em seus lábios ao mesmo tempo em que passava os braços ao redor de meus ombros, a vi aproximar o rosto de meu ouvido e a respiração quente dela de encontro a meu pescoço foi meio que demais pra mim.
– quero que me faça sua Harry.- ela falou baixinho e depositou um beijo tímido em meu pescoço. Estávamos perdidos, mas tudo bem pois estávamos perdidos nos braços um do outro.
Eu a beijei novamente, dessa vez um beijo cheio de desejo por ambas as partes, ela enroscou os dedos em meu cabelo e me puxou para mais perto fazendo qualquer distancia que ainda existia entre nós sumir, nossos corpos se encaixaram, principalmente nossos quadris. Eu massageava a língua dela enquanto minha mão apertava sua nuca. Eu tentava me manter focado, era a primeira vez dela, tinha que ser perfeita. Deixei a sua boca, se eu continuasse a beijá-la tudo iria terminar antes do tempo. Desci minha boca para seu pescoço novamente e senti a pele sensível se arrepiar sob meus lábios, desci minha boca para seus ombros, beijei e mordi tudo que conseguia alcançar, havia um lado meu que queria deixa-la marcada, que queria mostrar ao mundo que eu havia sido o primeiro a possui-la, um lado que fervia só de imaginar outra pessoa a tocando tão intimamente. Mas havia um lado que queria ama-la, um lado que nunca havia se manifestado em mim, que me fazia querer dar prazer a ela, faze-la ver o quão linda e sensual ela era, que queria faze-la se sentir a única mulher do mundo, o que de fato ela era pra mim. Desci meus lábios pelo colo, quantas inúmeras vezes eu não havia sonhado com isso ao observar seus decotes? Meus pensamentos apenas me excitavam cada vez mais. Olhei para o rosto dela e vi ansiedade em seus olhos, ela queria que eu a tocasse, e eu queria toca-la, não prolonguei nossa tortura. Voltei a beijar-lhe os lábios com calma, brincando um pouco com sua língua. Apartei o beijo e olhei em seus olhos enquanto descia minha cabeça em direção a seus seios, segurei um deles com minhas mãos, encaixe perfeito. Acariciei levemente o pedaço de carne e a vi arfar, eu me permiti sorrir de canto antes de envolver o outro com os lábios. Um gemido dela chegou a meus ouvidos fazendo com que eu me arrepiasse e acabasse sugando seu seio ainda com mais vontade enquanto meu polegar brincava com o outro mamilo, ela soltava pequenos gemidos que soavam altamente sensuais aos meus ouvidos. Eu passava a língua ao redor do mamilo dela, mordia levemente e ela se contorcia um pouco fazendo com que seu quadril se esfregasse no meu arrancando alguns suspiros de mim. Brinquei com um mamilo até que ele estava completamente rígido, fiz a mesma coisa com o outro, sem conseguir tirar os olhos da face da garota em meus braços. Voltei a beijar seus lábios enquanto fazia pressão com meu corpo no dela, tirei a mão de seu seio e a desci levemente pelo corpo que parecia ter feito sob medida para se encaixar ao meu, acariciei com a ponta dos dedos por toda a extensão da barriga dela, fui desenhando os contornos de seu corpo sem pressa enquanto a beijava confesso que com mais urgência do que eu queria demonstrar. Acariciei a lateral de seu corpo, o quadril, a barriga novamente, o baixo ventre e desci minha mão até suas coxas apertando levemente, afastei gentilmente as pernas dela e toquei sua intimidade sentindo meu membro latejando, tentei ignorar me focando nela. Passei meus dedos pelos grandes lábios suavemente e a vi morder os lábios tentando conter um dos gemidos que eu tanto amava, abri os grandes lábios e a acariciei mais a fundo, não haviam palavras no mundo pra descrever o quão excitante era senti-la, era quente e estava pulsando, ansiava por algo mais, pedia por mim. Encontrei seu clitóris e o pressionei levemente, e a assisti morder os lábios com mais força ao mesmo tempo que fechava os olhos com força, eu queria ouvi-la gemer, eu precisava, continuei acariciando o ponto sobre meus dedos e tudo que consegui foi arrancar alguns suspiros pesados dela, eu sorri levemente, sem aviso nenhum eu deslizei um dedo para seu interior, ela soltou um sonoro gemido de puro prazer que me tirou totalmente do sério, ela voltou a morder os lábios já marcados em uma tentativa de se manter calada, aproximei minha boca de seu ouvido enquanto passava a língua pelo lóbulo e em seguida o sugava.
Eu sussurrei o nome dela parando meus movimentos e recebendo um franzir de cenho como protesto.
– Hum?- foi tudo que ela me respondeu meio atordoada eu ainda mantinha meu dedo dentro dela.
– Foca em mim, esquece o mundo lá fora- eu falei em meio a mordidas em seu pescoço, colei bem minha boca a sua orelha de forma que meus lábios roçavam o local conforme eu falava - Pare de se controlar, eu quero ouvir você gemer- eu falei ao mesmo tempo que deslizava mais um dedo para dentro dela e voltava a movimentá-los. Ela soltou um sonoro gemido que saiu perto demais de meu ouvido me fazendo gemer junto, aumentei a velocidade de meus dedos, acariciando-a por dentro, preparando-a para mim. Voltei a sugar seu seio enquanto a masturbava e fui recompensado com os gemidos mais deliciosos que alguém poderia dar. Quando ela se contraiu em minha mão soltando um longo gemido ao mesmo tempo que se empurrou mais a direção de meus dedos eu senti que não aguentaria mais, eu precisava tê-la e seria agora. Retirei meus dedos de dentro dela e desliguei o chuveiro, ela me olhou encantadoramente confusa, eu lhe dei um beijo esfregando meu quadril no dela e ambos gememos com o contato.
– Segure-se- eu disse quando a envolvi com os braços pela cintura e a forcei para cima. Ela entendeu o recado e segurou-se em meus ombros passando as longas pernas ao redor de minha cintura, saí do box com cuidado e voltei a beijá-la para não perdermos o clima, coisa que eu achava impossível. A deitei na cama e me deitei suavemente sobre ela sem soltar meu peso, voltei a beija-la , ela deslizava suas mão por meus ombros de maneira inocente e enlouquecedora. Soltei um gemido alto quando suas unhas arranharam meu baixo ventre, eu realmente não aguentava mais. Estendi a mão até seu criado mudo, aonde eu sabia estar uma das camisinhas que eu havia dado pra ela de brincadeira, rasguei a embalagem com os dentes e joguei em qualquer canto do quarto, coloquei rapidamente e eu a percebi acompanhar meus movimentos ao mesmo tempo que corava violentamente. Me debrucei novamente sobre ela e voltei a sugar seu seio com vontade brincando com o mamilo entre os dentes e arrancando novos gemidos. Me posicionei entre suas pernas e percebi ela ficar tensa.
– Relaxe, eu não quero te machucar- eu disse e voltei a chupar seu pescoço.
Depositei beijos e mordidas aonde pude, e movimentei meu quadril, esfregando meu pênis que a essas alturas doía de vontade de possui-la em sua entrada o que arrancava gemidos de ambos. Levei minhas mãos até seus seios e fiquei ali a provocando, eu a sentia cada vez mais molhada e isso me deixava louco, rocei a cabeça em sua entrada e ela cravou suas unhas em meus ombros o que me fez gemer de dor e prazer, fiquei assim por mais um tempo, torturando ambos até que ela empurrou o quadril contra o meu.
– Harry, eu ... preciso de você...- ela sussurrou me olhando nos olhos pela primeira vez sem que eu pedisse. Aquilo foi o fim da linha.
Eu não disse nada, apenas a segurei pelos quadris enquanto a beijei, ainda esfreguei meu quadril no dela mais uma vez, até que finalmente me encaixei em sua entrada e me empurrei para dentro dela junto com um gemido longo. Ela enfiou o rosto em meu pescoço e cravou as unhas brutalmente em meus ombros arrancando outro gemido meu. Fiquei ali parado dentro dela até que ela se acostumasse com a sensação, puxei seu rosto de forma que eu pudesse olha-la e senti uma pontada no peito ao ver seus olhos cheios d’água.
– O que foi? Eu te machuquei?- eu disse preocupado.
Ela não respondeu, apenas faz que não com a cabeça ainda de olhos fechados. Eu a sentia pulsando contra meu membro, desci meus lábios sob os dela, fiz o contorno dos lábios delicados que se encontravam vermelhos com a ponta da língua, suguei e puxei o lábio inferior dela e a senti suspirar. Foi a minha vez de não conter um gemido tão alto que poderia ser considerado um grito quando ela começou a mover o quadril contra o meu. Era lento e tortuoso, enlouquecedor. Fechei meus olhos com força e ela assumiu o controle da situação, a deixei estabelecer o ritmo que podia aguentar, ela me puxou pela nuca e me beijou, o beijo mais cheio de desejo que eu já havia experimentado. Sua língua se enroscava na minha, provocando, explorando minha boca, os lábios inchados que sugavam os meus de forma tão sedutora que arrancavam gemidos de mim, suas mãos ainda passeavam por minhas costas e seu seio provocava uma sensação deliciosa quando se roçava em meu peito conforme ela se movimentava. Eu precisava de mais, aquilo era muito torturante. Levei minhas mãos novamente até a cintura dela que me sorriu como resposta, o brilho em seu olhar me tirava a pouca sanidade que eu tinha. A segurei fortemente pela cintura e ela mordeu meu lábio quando eu sai completamente de dentro dela, nós dois gememos alto quando a penetrei de uma só vez, me ajoelhei entre suas pernas e levantei um pouco seu quadril, eu aumentei a velocidade e fechei os olhos deixando a cabeça pender pra trás, aquilo era delicioso, era como uma droga, cada vez eu precisava de mais. Comecei a estocar mais forte e a cada gemido absurdamente sensual que ela soltava eu estocava mais forte e mais rápido, senti que estava chegando a meu ápice e diminui a velocidade bruscamente, minha prioridade era ela. Ela cravou as unhas em minhas coxas em protesto e eu ri. Levei uma mão até seu seio e o massageava na mesma velocidade lenta com que eu entrava e saia de seu interior, ela rebolou o quadril contra o meu e eu gemi enquanto a estocava fundo. Ela literalmente gemeu meu nome impaciente quando fiz isso. Deitei-me novamente sobre ela e a olhei nos olhos.
– Diz de novo..- eu falei selando nossos lábios. Saí por completo dela e a penetrei com força fazendo ela gemer alto- ande, quero ouvir você gemer meu nome- eu falei enquanto me empurrava lenta mais profundamente para seu interior fazendo-a cerrar os olhos em uma expressão de puro prazer.
– Harry – ela gemeu e novamente eu a estoquei profundamente – por favor...
– Por favor o que?- eu disse rodeando seu mamilo com a língua diminuindo ainda mais a velocidade de meus movimentos.
– Mais- ela disse em um gemido sofrido
– Mais o que?- eu prendi o mamilo entre os dentes e passei a língua pelo bico, soltando em seguida só para suga-lo.
– Mais rápido!- ela pediu em meio a gemidos e empurrou se quadril contra o meu.
– Como queira!- eu sorri.
Selei nossos lábios rapidamente e me ajeitei, puxei uma coxa dela erguendo-a de forma que eu consegui ir ainda mais fundo. Eu a penetrava rapidamente e sabia que dessa vez eu não conseguiria parar, era possível ouvir o som de meus quadris se chocando contra os dela, e nossos gemidos em um volume que poderia acordar o andar de baixo. Mordi o lábio ao senti-la chegar ao clímax, ela se contraia em meu membro, o que tornava tudo melhor, seu corpo tremia em espasmos, eu consegui de alguma maneira aumentar a velocidade, ela jogou a cabeça pra trás e gritou meu nome quando chegou ao orgasmo, e então pela primeira vez em minha vida eu gozei exatamente no mesmo momento em que a garota. Ainda movimentei meu quadril mais algumas vezes até que parei exausto. Colei a minha testa a dela e fechei os olhos tentando acalmar os batimentos de meu coração e minha descompassada respiração. Ficamos assim por um tempo, eu saí de dentro dela, tirei a camisinha e amarrei jogando-a no chão, eu simplesmente não conseguia me levantar. Puxei-a para se deitar em meu peito e nos cobri com a coberta que em algum ponto de tudo havia ido parar no chão. Ficamos ali, apenas nos concentrando em nossa respiração por um tempo, eu fazia carinho em seu braço e ela fazia pequenos movimentos circulares em meu peito.
– Harry...- a voz meio mole dela me despertou de meus pensamentos.
– Sim?- eu a olhei mas não encontrei seus olhos.
– Obrigado...- ela disse e ergueu o olhar até mim.
– Obrigado pelo quê anjo? – eu sorri acariciando suas bochechas
– Foi perfeito- ela disse corando.
Eu não sabia o que responder, então beijei seus lábios. Foi um beijo diferente de todos os que trocamos hoje, tentei demonstrar naquele gesto todo o carinho que tinha por ela. Quando separei nossos lábios eu recebi o mais lindo dos sorrisos de presente. Ela bocejou e nós dois rimos.
– Dorme meu anjo- eu depositei um beijo no alto da cabeça e a ajeitei sob meu peito.
Em pouco tempo ela dormia profundamente, e eu percebi quando olhei para seu belo rosto ressonando em meu peito que essa é uma visão que eu adoraria ver todos os dias. E em meio a esses pensamentos eu peguei no sono

5 comentários:

  1. O; My God Perfeito faz mais poooooor favor hehe'

    ResponderExcluir
  2. perfeitoo,simplismente perfeito ^^

    ResponderExcluir
  3. Como é que ela era virgem e tava com dois dedos dentro de si?? tp, lol!!! o.O

    ResponderExcluir
  4. Muuuuuito Perfeito! Esse não foi só sexy, foi romântico. Com certeza o melhor Imagine Hot que eu já li até hoje!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥