Imagine Hot Harry


Introdução: você era uma médica veterinária de Londres, melhor amiga de Eleanor. Você conhecia apenas o Louis.

Harry’s POV

-Cara, eu nem posso acreditar, obrigada El, esse é o melhor presente que eu ganhei ! – Eu não podia acreditar que ela realmente tinha feito aquilo.

- Na verdade foi ideia do Louis. – Ela disse sorridente. E eu agradeci os dois com um abraço apertado. – Mas você tem que tomar cuidado com ela, ela é muito novinha e precisa de muito carinho e cuidados especiais, e foi pensando nisso, que eu marquei um horário com a minha melhor amiga, ela é veterinária aqui. – Eu assenti, não fazia ideia de quem era essa veterinária, mas se era da confiança de El, era da minha também.

Fim do POV de Harry.



- Hannah, preciso que peça meu almoço, não vou poder sair daqui hoje, e também ligue para miley e peça á ela que vá para casa cuidar de Billy e Ira. – Pedi apressada para uma secretária da clínica.

- Plantão hoje doutora? – Ela sorriu amigável e eu assenti. Assim que eu voltei para o corredor ouvi a porta da clínica se abrir. Ah não ! outro “paciente”.

Fui direto para a minha sala arrumar alguns papéis. Assim que terminei, fui até outra sala onde haviam alguns animais internados. Kiara estava lá, era uma das minhas cachorrinhas preferidas, ela tinha anemia.

- Doutura? – Hannah entrou na sala enquanto eu retirava Kiara da casinha.

- Sim? - Respondi sem a olhar.

- Sua amiga Eleanor está aqui. – Sorri ao ouvir o nome dela.

- Mande entrar diga á ela que eu estou no jardim, preciso alimentar kiara. – Sorri. E continuei meu caminho até o jardim dos fundos da clínica, onde normalmente nós veterinários levávamos os cachorros internados para se distraírem um pouco.

- Vamos lá querida, você tem que reagir ou a titia vai ficar triste. – Eu falava com Kiara no colo, ela era uma filhote de Pit bull. – Você não quer me ver triste não é?

- Alguém já te disse que você fica muito sexy no seu jaleco branco? – Ouvi uma voz conhecida, era El, e pelo que percebi ela estava feliz.

- Eu sou sempre sexy. – Sorri e me virei pra ele, dando de cara com um garoto lindo ( lê-se : perfeito) de cachos e grandes olhos verdes. Ele trazia um sorriso danado no rosto e tinha covinhas. Ficamos nos encarando por um momento, e cada vez mais o sorriso dele se alargava me fazendo arrepiar. Sinistro !

Eleanor pigarreou, interrompendo nosso contato e eu corri para abraça-la sendo seguida por kiara. – Esse aqui é o Harry, amigo de Louis. – ele sorriu e chegou perto de mim, fazendo menção de que ia me abraçar, então o correspondi, segurando seu ombro e beijando-lhe o rosto. Infelizmente, Harry virou o rosto um pouco demais e eu acabei beijando o início de seu pescoço, e senti seu braço se arrepiando. Ainda tomada pelo contato de Harry falei em tom baixo:

- É um prazer ! – Sorri.

- O prazer é todo meu. – ele disse em um sussurro, sensualizando. Não que ele precisasse porque aquela voz rouca fez arrepiar até os meus países baixos, se é que me entende. O soltei imediatamente e sorri. Eleanor nos olhava com uma cara de safadinha, senti meu rosto queimar, então tentei romper a tensão.

- E quem é essa gracinha aqui? – Me dirigi á gatinha no colo de Harry, acariciando-a.

- Essa é thiara. – Ele sorriu e eu retribui.

- Muito bem, vamos pro meu consultório. Entrei com Kiara, colocando-a no chão do consultório, sendo seguida pelos dois. – Então, o que houve com a Thiara?

- Eu ganhei ela da El, e eu só queria saber se está tudo bem com ela. – Assenti.

- Posso pega-la? .

- Claro. – Então peguei a gatinha dela, e levei para uma espécie de maca de metal que havia no canto da sala. Comecei fazendo gestos com os dedos, como estrala-los.

- O que você ta fazendo? – Eleanor perguntou com uma cara confusa.

- É pra saber se a audição, visão e coordenação dela está ok, por exemplo, ta vendo que ela agarrou meu dedo com as garras? – El e Harry assentiram se aproximando. – Significa que o barulho a incomodou e ela conseguiu localizar de onde vinha, e tentar parar entende? - Assentiram novamente. – Você ganhou ela quando Harry?

- Hoje. – ele disse prestando atenção em tudo o que eu fazia.

- Ainda é muito cedo pra fazer exames nela, você precisa observar o comportamento dela, alimentação, animo dela pra brincar etc. Pelo que eu vi, os problemas primários, os que costumam dar em filhotes, não tem nenhum. - Ele assentiu e eu entreguei a gatinha pra ele.

- Sabe (S/N). – Ela disse meu nome alto, e olhando para Harry que sorriu para o chão. - Hoje é a noite dos jogos lá em casa, você devia ir, o Louis ta louco pra te ver, desde que eles chegaram de turnê ele não te vê.

- Eu adoraria mas tenho plantão hoje. – Disse fazendo bico.

- Ah (S/A) qual é vai ! - Ele fiz bico, e eu dei ombros. – Então eu vou mudar a noite dos games para amanhã, assim você pode ir.

- Tudo bem, mas depois de amanhã é meu plantão de novo. – Ela assentiu, ambos se despediram de mim com um beijo. Devo admitir, Harry caprichou no beijo no meu rosto.

A tarde passou rápido, eu atendi cada um, e logo a noite caiu com um frio absurdo, o tempo havia mudado de repente, e logo começara a trovejar, ninguém havia ido, eu estava completamente sozinha naquela clínica, e por um momento eu pensei que deveria ir pra casa, mas eu simplesmente não podia.

Ouvi um barulho da porta abrindo, quem entraria em uma clínica veterinária, em meio á uma tempestade? Trovejava muito, o que só me ajudou com o meu medo. Sai da minha sala, e tranquei a sala onde estavam os cachorros. Ouvi algo como um “shit”, e percebi que eu não conhecia aquela voz, o que descartava a hipótese de ser Eleanor.

Peguei uma das agulhas que usava normalmente para vacinas e fui até o corredor, e ao abrir a porta esbarro em um cara com um grande casaco preto. A agulha acabou atingindo ele no ombro com a queda. Assim que me virei para ver quem era, do de cara com os grandes olhos verdes que eu conheci hoje a tarde.

- H- Harry? O que faz aqui? – Ele gemia de dor, tampando o ombro esquerdo. – Ah meu Deus, me desculpa, e- eu me assustei, eu .. - Ele me interrompeu com um sorriso frouxo e um “me desculpe”.

- Eu não quis te assustar, é que eu estava passando por perto e começou a chover, então eu passei aqui, pra ver se você precisava de algo, e pra me esconder da chuva, eu sabia que você estaria. – ele continuava gemendo de dor.

- Tudo bem. – eu encostei no ombro dele e ele gemeu mais alto. – Ah, me desculpa, vem, eu vou dar um jeito nisso. – O acompanhei até a minha sala, e pedi para que ele se sentasse na minha mesa. Olhei o machucado dele, e a agulha ainda estava nele. A agulha conseguiu atravessar o casaco dele e perfurar a pele dele. Fiz uma careta ao analisar o machucado.

- Vai doer muito? – Ele disse mordendo o lábio inferior, o analisei, como ele fica gostoso mordendo o lábio.

- Só um pouquinho. – Disse fazendo o mesmo gesto que ele, e dessa vez quem me analisou foi ele. Com cuidado me aproximei mais dele enquanto ele estava sentado em minha mesa. – Vou precisar tirar essa agulha daqui antes que infeccione. Ele assentiu, e fechou os olhos. Com cuidado segurei a agulha que era de um tamanho médio e um tanto grossa. – Posso admitir uma coisa? – Eu disse puxando com cuidado a agulha. Ele abriu os olhos e me olhou atencioso. – Essa agulha é usada para cavalos, por isso é tão grossa, por isso doeu tanto. – Eu ri, e ele riu mais ainda, sendo interrompido pois eu aproveitei seu momento de distração e puxei a agulha com força e ele gritou. – Me desculpa, mas se eu fosse lenta doeria mais.

- Tudo bem, mas sério. – Ele disse enquanto eu pegava um algodão. – Você achou o que? Que um cavalo entraria aqui? – Ele riu.

- Não, pensei que fosse um ladrão. – Ele riu mais ainda, e eu dei ombros. – ãh, er, você tem que tirar a camisa. – Harry me olhou com um sorriso danado e eu me afastei vendo-o fazer menção de tirar a camisa. Assim que as primeiras partes da barriga de Harry ficou a vista, eu me aproveitei que sua camisa estava cobrindo seus olhos e o analisei. Meu deus, cada pedaço daquele menino era completamente definido. Ele tirou a camisa por completo e eu fingi que não me importei com aquele pedaço de mal caminho descoberto. Me aproximei de novo com o algodão molhado e ele me olhava maliciosamente.

Joguei os meus cabelos pra trás, e me abaixei na altura do ombro de Harry, passando o algodão cuidadosamente pelo ferimento.

- Você é boa. – Ele sussurrou, e logo eu entendi o duplo significado, mas preferi me fazer de desentendida.

- Estudei muito pra isso. – Harry riu irônico enquanto eu me afastei ficando de costas pra ele e pegando umas fitas para fazer-lhe um curativo. Assim que me virei para Harry ele me olhava com luxuria. Ignorei pensando que talvez pudesse ser fruto da minha imaginação. Terminei o curativo, e o olhei. – Hã agora você pode ir pra casa. – Sorri, eu realmente queria que Harry cobrisse seu corpo e saísse logo da minha frente ou eu não corresponderia pelos meus atos.

- Mas e se eu quiser ficar aqui? – Ele sussurrou, e eu o olhei. – Minhas calças estão molhadas, preciso me trocar. – Ele sorriu irônico.

- Eu te deixo na sua casa, meu plantão acabou, Miley já vai chegar pro horário dela. – Eu disse sorrindo.

- Não te ninguém em casa e a minha chave está com Louis, que uma hora dessas está se divertindo com Eleanor.

- Eu te levo pra casa. – Ele assentiu e sorriu. Tá tá, eu sei que Harry estava tentando insinuar algo e eu acabei cedendo, mas poxa, talvez ele realmente estivesse sem suas chaves então, qual o problema de ele ir pra minha casa? Afinal, eu o machuquei né?

Peguei minha bolsa e liguei para Miley, uma amiga também veterinária. Harry e eu ficamos a esperando, na minha sala e ele ficava me jogando indiretas o tempo todo, e acabei entrando no jogo dele jogando indiretas também.

- Fui mordida pelo Billy e –e - Miley gaguejou ao me ver sentada na minha mesa, com Harry entre as minhas pernas acariciando meus cabelos, detalhe, ele ainda estava sem camisa. Afastei Harry com um empurrão e me virei de frente pra ela, Harry também parecia envergonhado. – Desculpa eu não queria atrapalhar, eu só vim te dar a chave, bons sonhos. – Ela disse me entregando a chave e piscando pra mim. Me virei para Harry e ele estava corado.

Harry vestiu sua camisa com minha ajuda e fomos para o meu carro.

- Eu dirijo ! – Ele disse me encostando no carro e pegando a chave da minha mão. Nem contestei, até porque eu estava cansada demais para dirigir.

Entramos no carro e Harry o arrancou ligando o Rádio. Começou a tocar WMYB, e eu ri.

- Sabe, eu sempre achei os caras dessa banda uns gatos. – Eu disse olhando para a janela, e vi Harry sorrindo de lado.

- é mesmo? - ele disse com um voz muito mais sexy do que o normal.- E você tem algum preferido?

- Hmmmm, aquele Harry não é nada mal! – Ele riu e colocou uma mão sobre a minha coxa acariciando, logo depois sussurrou:

- Você ainda não viu nada. – E eu me arrepiei ao ouvir. Logo anunciei que havíamos chegado, e ele estacionou em frente á minha casa. Saimos do carro correndo por conta da chuva e eu abri a casa depressa. Assim que abri a porta fui empurrada por Harry que agarrou minha cintura.

- H- Harry.. – fui interrompida com um beijo, feroz e delicioso, Harry apertou minha cintura o que me fez arrepiar. Fui incrível como Ira minha Pit Bull não estranhou Harry, ainda mais se agarrando com a “mamãe” dela. Ele interrompeu o beijo procurando ar e indo fechar a porta da casa. O olhei ainda sem acreditar e respirei fundo ao vê-lo voltando pra cima de mim. – Harry o que está fazendo?

- O que eu queria fazer desde que senti seu beijo no meu pescoço. – Ele sorriu irônico. Me segurando novamente pela cintura, mas eu virei meu rosto. – O que foi? – Ele disse me olhando compreensivo. – Eu só vou até onde você deixar, eu juro. – Voltou a beijar meu pescoço.

- Não é isso Harry, é que, sua pele ta gelada, você vai pegar um resfriado. – Ele parou de me beijar me olhando confuso, mas eu não desisti.

- Com uma médica nunca se pode ter certeza não é? – Ele disse rindo.

- Se você for de alguma espécie de animal, nunca deverá ter certeza comigo. – Eu sorri me soltando dele. – Vem, vou te levar pro meu quarto, você toma um banho quente enquanto eu coloco suas roupas pra secarem. – O puxei pela mão e o levei até a minha suíte. Ele tirou as roupas e pendurou na porta do quarto pra que eu pegasse.

Harry’s POV.

Não acredito que ela tinha parado um momento como aquele por causa de preocupação, tudo bem que eu estava morrendo de frio, mas ela poderia ter me esquentado né? Ou então, eu a deixaria resfriada com o gelo que estava meu corpo. Entrei na banheira de água quente dela, aquilo era relaxante, e a sensação térmica era deliciosa. Não fiquei muito tempo no banho, estava louco pra sair e ver (S/N) de novo.

Vesti minha boxer preta e sai de fininho do banheiro, bem na hora em que ela tirava sua blusa deixando seu sutiã vermelho á mostra. Bingo!. Não me aguentei e a segurei com força pela cintura assim que ela deixou a blusa sobre a cama. Ela se arrepiou e sua pele se esquentou. Beijei toda a extensão do pescoço dela, recebendo em troca um gemido como aprovação.

Ela já não resistia mais como fez durante todo o tempo que ficamos na clínica, ela passou a mão pelos meus cachos e fechou os olhos, para apenas sentir meus carinhos.

Fim do POV de Harry .

Harry desceu sua mão para o cos da minha calça, ele distribuía mordidas pelo meu pescoço sem se preocupar com marcas que apareceriam no dia seguinte.

Ele abriu o botão da minha calça e gentilmente a tirou, e assim que senti o tecido em meus pés eu mesma o tirei. Harry me virou pra ele, colocando nossos corpos e me beijou. Eu já comentei o quanto o beijo dele era bom?, ainda mais cheio de desejo como aquele. Sua mão desceu para um dos meus glúteos os apertando com uma força tremenda, provavelmente lá teria outra marca de Harry, soltei um gemido abafado pelo beijo, e Harry começou a cambalear comigo pelo quarto. Nossas línguas brincavam uma com a outra em perfeita sintonia. E Harry sempre sorria durante o beijo. Terminamos o beijo com selinhos carinhosos, á essa altura já estávamos na beira da minha cama, e quando ele ia me jogar nela eu o virei jogando-o. Harry sorriu surpreso e eu engatinhei por cima dele enquanto ele ia mais para o meio da cama. Beijei todo o seu pescoço, afinal era minha vez de deixar minhas marcas nele. Chupei o lóbulo da orelha dele, recebendo um tapa em minha bunda. Ele apertava minha cintura conforme eu distribuía chupões em seu pescoço. Desci minha boca fazendo um carinho por toda a extensão do seu peitoral e barriga, dando algumas mordidas ao redor da barriga. Ao chegar á barra da boxer dele, senti seu volume já formado em meu pescoço, aquilo me fez arrepiar inteira. Minha mão esquerda passou pelo seu volume, acariciando a região enquanto eu mordia sua coxa. Gentilmente adentrei a sua cueca envolvendo seu membro com a minha mão, acariciando-o e ouvindo Harry gemer, o que só me deixava ainda mais excitada. Adentrei minha outra mão, e com dois dedos tirei sua boxer devagar, deixando visível seu membro.

Distribui beijos desde a base de seu pênis até a parte superior dele, recebendo um suspiro pesado de Harry como sinal de aprovação, imediatamente coloquei todo seu membro em minha boca começando com movimentos lentos, vendo Harry se contorcer. Logo acelerei meus movimentos, e Hazza gemia, sua voz ficava cada mais rouca denunciando seu estado de excitação. Ele segurou meus cabelos controlando meus movimentos, e logo ergueu meu rosto bruscamente.

Ele me puxou e me beijou mais calorosamente, suas mãos procuravam o fecho do meu sutiã, ele parecia desesperado, assim que ele o encontrou abriu o sutiã jogando-o longe. Ele abocanhou meus seios, e logo me virou ficando por cima de mim. Mais uma vez Harry parecia querer deixar sua marca, fazer com que eu não esquecesse aquela noite nunca mais, ele deixou marcas nos meus seios, de suas chupadas e dentes, e por mais que os dentes doessem só me deixavam cada vez mais excitada. A mão de Harry adentrou minha calcinha vermelha brutalmente, e seus dedos começaram a estimular meu clitóris, ele me penetrou com três dedos inesperadamente, e eu me contorci deixando um grito escapar pelos meus lábios, Harry terminou de tirar minha calcinha jogando-a no chão, ele começou a acelerar seus movimentos com os grandes dedos, estimulando meu clitóris dessa vez com a língua, chupando-os.

Eu me contorci, e uma sensação relaxante e prazerosa tomou conta do meu corpo, e logo eu me senti mole nas mãos de Harry, eu tive meu primeiro orgasmo. Harry percebeu meu estado e parou com os movimentos, voltando a me beijar e colocando uma das minhas pernas em volta da sua cintura. Apertando minha coxa.

- H- Harry, v-vai logo com isso, pfvr. – Eu disse em meio á suspiros. E Harry sorriu ternamente me olhando, ele se posicionou e me penetrou com força, o empurrei para que meu gemido saísse com o tom certo. Harry sabia exatamente os movimentos que fazia, cada lugar que tocava com seu membro me fazia sentir mais prazer. Seus movimentos se aceleraram, mas eu o interrompi ficando em cima dele. Ele pegou minhas mãos entrelaçando nossos dedos, me fazendo descer por completo em seu membro rígido, ele beijou minha mão, e eu comecei a me movimentar com rapidez no meu movimento, jogando meus cabelos para o lado, Harry desceu uma das suas mãos para a minha bunda controlando a velocidade e intensidade dos meus movimentos. Novamente senti aquela mesma sensação de antes, e dessa vez eu não aguentaria continuar. Harry também parecia cansado, mas ele ainda não havia chegado no orgasmo, então fiz um esforço e continuei a me movimentar, dessa vez lenta mas profundamente. Harry gemeu meu nome uma ou duas vezes até chegar ao orgasmo, eu cai sobre o seu peito, acariciando meu cabelo. Me deitei ao seu lado, e ele nos cobriu com um lençol e eu me virei de costas pra ele, ele me abraçou pela cintura de forma que ficássemos de conchinha, ele sussurrou:

- Se todas as vezes que eu for na sua clínica a gente acabar desse jeito, acho que você não quer mais me ver não é? – ele disse rindo e depositando um beijo fofo no meu pescoço.

- Está convidado pra ir lá todos os dias. – Eu disse ainda recuperado o folego e ele riu.



No dia seguinte acordei com o braço forte de Harry segurando minha cintura, ele parecia não querer me deixar escapar, acabei rindo baixo com o meu pensamento. Tirei gentilmente as mãos de Harry e assim que sai da cama percebi que ainda estava nua. Aproveitei para tomar um banho relaxante, tentando fazer o mínimo de barulho para não acordar meu bebê.

Me enxuguei e coloquei uma calcinha boyfriend branca e de renda e uma camisa branca de ombro caído larga. Desci até a sala e liguei para Miley dizendo que não iria trabalhar hoje pois havia passado mal. Vi as coisas de Harry jogadas pela sala por causa do nossos primeiro beijo. Fui para a cozinha para preparar panquecas e Waffles. O celular do Harry começou a tocar, eram duas mensagens de Louis:

“Dude, acabei de perceber que estou com a sua chave, onde você passou a noite? Foi mal dude. – Lou”

“ Cade você cara?, só pra avisar, a gente foi dispensado da entrevista hoje – Louis”

Sorri com o desespero de lou por procurar o amigo mas voltei a fazer o que estava fazendo, e logo senti dois braços envolvendo minha cintura e um beijo carinhoso no meu pescoço.

- Você sempre acorda manhoso assim? – Sorri, acariciando o cabelo de Harry, ele me virou e depositou um selinho em meus lábios.

- Só quando eu quero carinho de alguém em especial – Sorri e o beijei.

- Eu fiz panquecas! – Ele arregalou os olhos. E sorriu dizendo um “ eu adoro panquecas”, coloquei o café no balcão e nós nos sentamos um em frente ao outro e começamos a comer, Harry tem uma carinha de anjo quando acorda, e é delicioso olha-lo.

- É sério o que você disse ontem? – Ele me olhou me pegando de surpresa.

- O que eu disse ontem? – o perguntei sorrindo enquanto dava outra garfada em um waffle com calda de chocolate.

- que eu estou convidado pra vir aqui sempre. ! – ele disse com um sorriso angelical. Desci do meu banco e abracei Harry por trás acariciando seu peitoral ele colocou uma mão em cima da minha e eu sussurrei:

- Sempre que você quiser, pode até ficar aqui e não ir embora nunca mais. – Eu ri, e ele me puxou pra frente dele, fazendo um carinho no meu cabelo.

- Depois de ontem eu não vou ter muito o que pensar né? – Ele riu e me beijou

Um comentário:

  1. adoreii!! Jana seu blog é fantastico virei a noite passa da lendo ele mto bom!!! continue assim!! S2

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥