Imagine Hot Niall



- Assim como todos que testemunham ter passado tempos difíceis, mas não cabe á nós decidir quais serão as consequências, o que nos cabe é decidir o que fazer com o tempo que nos é dado. – Era possível ouvir minha voz ecoar pelo outros cômodos da casa, aquele vazio me entediava. Eu estava no pequeno quarto rosa bebê, sentada na poltrona mais confortável que eu já usei.

- Acho que chega de Senhor dos Anéis por hoje, não é? Eu preciso descansar. – Eu disse, talvez ela conseguisse me ouvir.

Fechei o livro colocando ele na pequena penteadeira branca que havia no quarto. E sai de lá.

- Sabe, faltam duas semanas pra ele voltar. – As vezes me sentia ridícula por conversar “sozinha” em voz alta. – Logo o papai chega! – Acariciei minha barriga de 9 meses. – Aiiiii, ok, eu também estou feliz mas não precisa chutar a mamãe ok?. – Sorri e me sentei no sofá na sala. Eu assistia qualquer coisa na Tv enquanto comia deliciosos bombons, meu celular tocou em seguida.
- Oi amor. – Falei manhosa, quanta falta eu sentia do Niall aqui, estávamos á três meses sem nos ver por causa da sua nova turnê.

- Oi meu amor, como se sente? – Ele parecia estar animado.

- Estou bem, citei seu nome agora pouco e acabei sendo chutada. – Ele gargalhou do outro lado.

- Essa é minha menina. – Ele ainda ria, e eu podia imaginar seu sorriso gigante estampado no rosto. – Ei, eu liguei para a Perrie, e ela está indo aí pra ficar contigo ok?

- Niall, a Perrie tem o trabalho dela ok? Não precisa eu disse que estou bem, não disse? – Eu acariciava minha barriga, algo que já tinha se tornado um hábito pra mim.

- Amor, logo está na hora dela nascer ok? Eu só não quero que você esteja sozinha.

- Tudo bem meu amor, tudo bem, mas me diga, e o show hoje?

- Vai começar as onze horas, eu estou muito agitado, na verdade todos nós, eu já disse que era um sonho me apresentar na MSG?

- Já sim, boa sorte, eu estou muito orgulhosa ok? - Eu sorri, e logo ouvi a campainha tocar. – Amor, preciso ir, Perrie acabou de chegar. Eu te amo e boa sorte de novo!

- Eu te amo, sinto sua falta, obrigado. – ambos desligamos, e o sorriso bobo teimava em sair do meu rosto, fui até a porta e assim que abri encontrei uma Perrie com um sorriso de orelha á orelha.

A abracei antes mesmo de dizer algo, eu a havia escolhido para ser a madrinha da nossa pequena Melody. Abri passagem para ela, e logo fechei a porta.

- Eu te trouxe uma coisa. – Ela disse animada até demais. Cerrei os olhos e ela riu. – Toma, abre isso.

- Pe, não precisava trazer nada, pfvr! - ela fez uma careta engraçada e se sentou eu me sentei ao seu lado e peguei o pacote.

Ao abrir meus olhos brilharam. Era uma macacão rosinha que estava escrito: “My dad is going to have problems” ( meu papai vai ter problemas).

- Que coisa mais fofa. – a abracei novamente. – Obrigada.

- Que isso, vamos pedir comida japonesa? – Ela disse já se levantando pra pegar o telefone, eu apenas assenti.

- Vou tomar um banho, pede ai.

Assim que tranquei a porta senti outra pontada. – Melody, já não te pedi pra parar de chutar a mamãe, qual é, já está doendo demais.

Me desfiz da minha roupa rapidamente. Liguei o chuveiro, a água quente estava ótima suspirei, sinceramente? Eu não queria sair de lá. Fechei os meus olhos, e novamente senti uma dor, bem mais forte que as outras. Numa reação impensada minha mão foi direto pra mim barriga. Eu parecia estar levando facadas na barriga.

Gritei por Perrie, que logo já se encontrava no banheiro me enrolando em um toalha. Ela me ajudou á ir até a cama. As dores ficavam cada vez mais forte. Um liquido um tanto gosmento saiu do meio das minhas pernas, e Perrie ao ve-lo começou a sorrir, já eu, me desesperei. Minha bolsa havia estourado.

Comecei a respirar fundo enquanto Perrie colocava um vestido leve em mim. Em menos de dez minutos nós estávamos no hospital. Eu estava deitada, um calor tomou conta de mim, e a contração mais forte chegou. Era a hora, eu finalmente conheceria Melody.

A médica dizia coisas confortantes como “ se acalme, falta só um pouco”. Meus gritos ensurdeciam qualquer um presente na sala.

Perrie não havia me acompanhado, ela tinha ficado de fora para poder ligar para Niall.

Depois de uma hora e meia de gritos, finalmente o silêncio tomou conta da sala, sendo seguido por um choro fino, um sensação de alivio, fio tudo o que senti. Não consegui ver Melody de imediato, as enfermeiras á haviam levado para um canto da mesma sala, para limpa-lá.

Após me recompor na cama, um sorriso se abriu em meu rosto, quando uma das enfermeiras colocou Melody em meu braços.

Niall’s POV.

O show estava sendo ótimo, tínhamos cantado as três primeiras músicas, e agora num pequeno intervalo recebi um ligação de Perrie.

- NIAAAAAAAAAAAAAAAAALL – ela gritou e eu tirei o telefone do ouvido, seu grito foi ouvido até por Zayn que disse algo como: “ É a Perrie? “.

- O que foi garota? - me sentei no sofá, os meninos estava sentados do meu lado, coloquei de modo que todos pudessem ouvir a nossa conversa.

- Ela nasceu Niall, sua Melody. – Eu fiquei paralisado por um momento, tenho certeza de que os garotos se preocuparam, mas logo um sorriso se abriu em meu rosto. Os caras começaram a pular e gritar ao meu lado.

- E- eu. – eu não conseguia dizer nada, eu nem sabia o que dizer. – Ela, ela está bem? Como ela é? E a (S/N)? como ela está? Ah cara, eu devia estar ai, é a minha filha, a (S/N) não está brava não é?

- Niall, calma ta legal? Não, a (S/N) não está brava, na verdade ela está esperando as enfermeiras darem o banho na Melody e logo a (S/A) vai amamentar ela. Ela é linda Niall, muito perfeita. Olha, eu vou pro quarto da (S/A) ajuda-lá, peço pra ela te ligar depois.

Assim desligamos e eu segurava o choro, fomos avisados de que tínhamos que voltar pro palco. Fiz um acordo com os meninos, e logo depois nós voltamos pro palco sendo recebidos por gritos apaixonados das fãs.

E dirigi até o fim da passarela, colocando meu microfone no apoio.

- Sabe, quando eu tinha 15 anos, eu fiz uma promessa á mim mesmo. Um dos meus maiores sonhos sempre foi ser pai, e eu acabei de receber uma ligação, avisando que minha pequena Melody acabou de nascer. – Por mais que eu tentasse parar, eu não conseguia, eu ficava imaginando como ela seria, como estaria (S/N). – E eu não estava lá pra ve-la chorar pela primeira vez. Quando nós fazemos um show, temos a playlist das músicas prontas, mas como parte da minha promessa, eu vou mudar um pouco isso. – A música começou a tocar.

Well i just heard the news today

(É, acabei de ouvir as notícias de hoje)

It seems my life is going to change

(Parece que minha vida vai mudar)

I close my eyes, begin to pray

( Eu fecho meus olhos, e começo uma oração)

Then tears of joy stream down my face

(E lágrimas de felicidade desceram rosto abaixo)



With arms wide open

( Com os braços abertos)

Under the sunlight

(Sob a luz do sol)

Welcome to this place

( bem vinda á essa lugar)

I'll show you everything

( eu vou te mostrar tudo)

With arms wide open

(com os braços abertos)

Well i don't know if i'm ready

( Bom, eu não sei se estou preparado)

To be the man i have to be

( pra ser o homem que tenho que ser)

I'll take a breath, i'll take her by my side

( eu vou respirar, traze-la para o meu lado)

We stand in awe, we've created life

( paralisados pelo deslumbramento, acabamos de criar uma vida)



A essa hora as lagrimas já desciam livremente pelo meu rosto, e em um segundo se quer da música eu deixei de lembrar do sorriso de (S/N), a imaginei deitada com nossa pequena Melody nos braços, me esperando. Eu torço pra ela se pareça com a mãe! As fãs cantavam e choravam ao som do meu cover.



With arms wide open

( de braços abertos)

Under the sunlight

( Sob a luz do sol)

Welcome to this place

( bem vinda á esse lugar)

I'll show you everything

( eu vou te mostrar tudo)

With arms wide open

( com os braços abertos)

Now everything has changed

( agora tudo mudou)

I'll show you love

( eu vou te mostrar o amor)

I'll show you everything

( eu vou te mostrar tudo)

With arms wide open

( com os braços abertos).

Fim do Niall’s pov.



Melody estava enrolada em uma manta rosa, nos meus braços, Perrie estava sentada ao lado da cama acariciando os cabelos pretos da minha princesa.

Eu a estava amamentando, apesar de doer um pouco, era a melhor sensação do mundo, ter um ser humano tão pequeno, tão indefeso, tão dependente do seu amor. Ela vai precisar de mim e de Niall para prepara-la pro mundo.

- Ela é a cara do Niall, não acha? – Falei em tom baixo e Perrie sorriu.

- Ela é linda.

Três horas se passaram. Niall se quer me ligou, é claro que eu estava chateada com isso, mas preferi não comentar com ninguém, Melody havia dormido, devo confessar, ela é perfeita, sua expressão calma, e sua boquinha naturalmente vermelha se mexia as vezes. Perrie também dormia no sofá do quarto.

Algumas vozes altas vinham do corredor, e eu estava torcendo para que aquilo não acordar minha princesa que ainda dormia no meu colo.

- Senhor ela está dormindo por favor, entre só você. – Uma enfermeira dizia em tom baixo.

- Eu vou ver o que ta acontecendo. – Perrie havia acordado com a gritaria e foi até o corredor, fechando a porta.

- Ei, ei ei, minha afilhada ta querendo dormir sabia? – Ouvi Perrie gritar e sorri, ela provavelmente nem conhecia quem estava lá, e já estava gritando.

Logo um silêncio tomou conta do quarto e do corredor, comecei a acariciar a bochecha da minha bebê com o polegar. Logo a porta se abriu e Perrie parecia mais calma, pois entrou em silêncio.



- antes de dizer qualquer coisa, eu quero pedir desculpa, eu devia ter estado aqui. – Olhei para a direção da voz e encontrei Niall, quantas saudades eu sentia dele.

- Niall o que faz? – O olhei incrédula.

- Eu peguei o primeiro avião para Londres depois do show. Ele sorriu e se aproximou me abraçando com cuidado para não esmagar Melody.

- Me desculpa, de verdade, ele afundou o rosto na curva do meu pescoço, depositando um beijo ali.

- Niall, para ta bem? Eu te amo, e eu entendo, é o seu trabalho, não estou brava. – Melody acabrá de acordar. Niall assentiu assim que eu terminei de falar e direcionou os olhos ao pequeno “ pacote” que eu tinha em mãos. Tirou a manta do rosto da menina e deixou algumas lágrimas pingar sobre a barriga dela.

Ele acariciou todo o rostinho dela. E eu sussurrei:

- Ela tem os seus olhos. – Ele direcionou o olhar para o grandes olhos azuis da menina.

- Ela é perfeita. – Ele disse me olhando e depositando um selinho carinhoso nos meus lábios.

Niall passou a mão sobre as mãozinhas da menina que segurou o indicador dele com força, ele sorriu com o ato. Ela parecia reconhecer o pai, ela o olhava prestando atenção em cada detalhe dele.

- Quando vou poder te levar pra casa? – Ele me olhou.

- Não sei amor, vai pra casa ok? Você deve estar cansado.

- Não, não estou, eu dormi no avião. – Ele disse depositando um beijo na minha testa.

- Mentira. – Harry disse em tom baixo adentrando a sala assim como os meninos e as respectivas namoradas. – Ele veio a viagem inteira dizendo como ele esperava que ela tivesse o seu sorriso ( S/A). – Eu ri e olhei Niall que estava corado. Harry me beijou o rosto.

- Como está?

-Bem obrigada. – Ele acariciou o rosto da menina.

- Ai, o padrinho sou eu flw? – Zayn disse vindo ao meu lado. – Ela é tão linda (S/A).

Após cumprimentar todos os meninos eles disseram que iriam pra casa, e amanhã passavam e que revezariam quem iria ficar comigo. Mas Niall insistiu que ficaria comigo. Ele parecia se culpar por não ter ficado comigo na hora do parto. Ele sentou-se na beira da minha cama e pegou Melody em seus braços. A fez dormir de novo.

- Ela é tão quietinha, eu ouvi falar que bebês eram chatos. – Ele disse me olhando e abrindo seu sorriso perfeito logo em seguida.

- Ela quase não chora. - Assim que ela adormeceu de verdade ele a colocou no bercinho que havia no quarto e veio até mim sorrindo. – Nem me deu um oi digno. – Eu disse mordendo o lábio e ele veio sorrindo pra perto de mim. Ambos conversávamos em tom baixo. Me sentei na cama e o vi se aproximar.

- Eu não vou conseguir dar um oi digno enquanto você estiver na cama de um hospital. – Ele sorriu e me abraçou forte, eu beijei a curva do seu pescoço. – Obrigada.

- Pelo que? - Eu me afastei milímetros dele e o olhei.

- Por ter me dado ela. – Ele acariciou meu rosto, e eu sorri.

- Mor, na pratica, quem me deu ela foi você e tals. – Niall gargalhou e logo em seguida colocou a mão na boca, eu ri baixo.

- Você e seus comentários indiscretos. – Ele disse encostando o rosto na minha bochecha e depositando uma mordida gostosa lá.

- Até que você gosta. – Eu sussurrei e ri.

- Eu adoro. – ele disse em tom completamente sensual, deslizando suas mãos até a minha cintura e me levando pra mais perto dele.

- Niall aqui não. – Eu acariciei os cabelos dele. Puxando devagar.

- Qual é amor, eu me lembro quando você disse que era uma fantasia sua.

- Niall, Melody pode acordar e nos ver.

- A gente pode ir pro banheiro. – Ele me olhou e eu senti meu rosto queimar, ele riu. – Não precisa ficar corada, até parece que você nunca me ...

- Niall, cala a boca e me beija. – O interrompi antes que ele falasse algo que me deixasse com mais vergonha.

Ele sorriu maliciosamente, e colou os lábios nos meus, eu agarrei seus cabelos, e ele adentrou minha boca com a sua língua. Ele passou as mãos pelo meu quadril e me ergueu tirando da cama. Enrolei minhas pernas na sua cintura e ele apertou meu bumbum me fazendo roçar meu sexo no dele.

Ele tateou a porta do banheiro até achar a maçaneta e nos trancou lá.

Me colocou em cima da pia e passou a mão por todo o meu corpo. Ele me olhou e sussurrou um “ senti sua falta”, antes de voltar a me beijar. Ele passou as mãos por baixo das minhas pernas e me puxou pra mais beirada da pia, soltei um grito e comecei a rir. A puxada foi brusca e eu senti seu volume já se formando. Tirei o cardigã azul marinho dele, e passei minha mãos por dentro da sua camisa branca deslizando minhas unhas pela suas costas. Logo sua camisa branca estava fazendo companhia para o cardigã. Niall ergueu minha camisola nada sexy deixando minha calcinha preta á mostra. Seus dedos começaram á percorrer o meu sexo e começaram a fazer movimentos circulares estimulando meu clitóris. Em poucos minutos minha calcinha já se encontrava molhada, e Niall sorriu ao sentir isso, ele começou a beijar o meu pescoço, enquanto eu passava a mão pelo seu volume. Niall soltou um suspiro pesado em meu ombro e em seguida o mordeu. Eu desci da pia e o encostei lá, começando a abrir sua calça. O beijei ferozmente enquanto minha mão percorria a extensão do seu sexo. Niall mordeu meu lábio com força e como reação eu coloquei minha mão dentro da sua cueca e apertei seu membro com força, ele se contorceu e gemeu. Comecei a masturba-lo devagar, enquanto Ni jogava meu sutiã longe, logo em seguida ele abocanhou meu seio chupando-o cada vez com mais intensidade, apertei novamente seu membro e ni soltou um gemido abafado delicioso. Me agachei e comecei distribuindo selinhos por toda a sua virilha e em seguida passando minha língua pelo meu mebro, o olhei ainda com a língua em seu membro e ele mordeu o lábio e jogou sua cabeça pra trás. Ele segurou meus cabelos e começou a se movimentar dentro da minha boca.

Ele parecia não aguentar por muito tempo, então me encostou bruscamente na pia me deixando de costas pra ele.

- Vai com calma tá? – eu sussurrei. - acabei de ter um parto natural.

Ele beijou meu ombro como sinal de que havia entendido, e começou a roçar seu membro no meu.

- Se se sentir desconfortável me avisa. – Ele disse sorrindo, e em seguida me penetrou fortemente, soltei um gemido que foi abafado pela mão de Niall, e senti uma dor invadir meu corpo, ele não se movimentou por um bom tempo, para que eu “me acostumasse com ele novamente em mim “, apenas estimulou meu clitóris e novamente eu estava ficando molhada. Ele começou com movimentos lentos passando a língua pelo meu pescoço. Seus movimentos aumentaram o ritimo e eu gemia baixinho. Cada estocada vinha mais forte e a mão direita de Ni foi até o meu seio apertando-os. Ele me virou de frente, me colocando em cima da pia, abriu minhas pernas e passou sua língua por todo meu sexo, ele chupou o meu clitóris soltando-o logo em seguida. Eu puxei seus cabelos controlando seus movimentos, e ele me penetrou com a língua, fazendo movimentos rápidos e eu mal tinha força para gemer. Ele ergueu seu tronco e me penetrou novamente.

- Vai, geme pra mim. – Ele disse com o rosto afundado na curva do meu pescoço.

- Niall .. – Eu comecei a gemer, não por mando dele, mas sim porque já sentia os primeiros sinais de que o orgasmo estava prestes á chegar. Ni aumentou a velocidade e a intensidade das estocadas. Uma sensação relaxante tomou conta de mim, e eu gozei. Senti meu sexo sensível á qualquer toque, e eu não tinha controle das minhas reações, a cada nova estocada eu me contorcia mais. ME contorci e fechei as minhas pernas deixando Ni preso dentro de mim, eu ri e ele abriu minhas pernas bruscamente e voltou a dar estocadas mais fortes dessa vez.

- Seja uma boa menina. – ele sussurrou e segurou meus cabelos da nuca.

Mais quatro estocadas e Niall chegou ao limite dele. Ambos estávamos cobertos por uma leve camada de suor. Ele me beijou ainda dentro de mim, passando a mão do meu rosto para o meu pescoço. Ele encostou nossos rostos.

- Senti tanto a sua falta. – Ele fechou os olhos fortemente.

- Eu também. – Me afastei e olhei pro lado. Uma banheira nos esperava. – Bora?

Ele sorriu e assentiu, ficamos na banheira por um tempinho ele se deitou atrás de mim, e eu encostei minhas costas no peito dele. Estavámos nos acariciando, de minuto em minuto Niall beijava meu pescoço, ou acariciava minhas pernas cobertas pela água, até que ouvimos Melody chorar no quarto. Saimos e nos enxugamos rápido, eu me vesti novamente com a camisola, e Niall que já estava no quarto pegou melody no colo e se sentou na poltrona com ela. Assim que sai do banheiro, Ni estava cantando So Sick ( primeira audição do Ni no X factor) pra ela, e ela prestava atenção em cada movimento que o pai fazia. Definitivamente, agora eu tinha tudo o que eu sempre quis

Um comentário:

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥