Summer Love - Capítulo I


Uma manhã com poucos raios de sol atingindo a capital inglesa, uma coisa boa para o feriado. Ruim seria se eu tivesse saído da Escócia, para passar todo o meu feriado em casa, sem aproveitá-lo de forma correta. Levantei-me da cama, passei o robe ao meu redor e o prendi contra meu corpo. Calcei meu chinelo e caminhei em direção ao banheiro. Escovei meus dentes e observei minha aparência no espelho. Meu cabelo estava com ondas e com a cor natural dele. Não havia olheiras — como há alguns dias — por passar noites em claro estudando. Eu estava um pouco mais magra, mas continuava com o corpo de uma modelo, como diz Jase.

— Bom dia, família – falei ao entrar na cozinha.

— Parece que alguém acordou de bom humor hoje – brincou Jase.

— Bom dia, filha – meu pai deu um beijo na minha testa, indo até mamãe.

— Eca! – eu e Jase dissemos uníssono, após presenciarmos a cena de papai e mamãe beijando-se. Eles riram.
— Quando vamos para o Caribe? – perguntei pegando uma maçã.

— Hoje à noite – mamãe respondeu – suas malas estão prontas?

— Sim – respondi sorrindo e saindo do cômodo.

— Nós costumamos tomar café na mesa – pude escutar mamãe gritando, antes de eu subir as escadas. Somente ri e continuei indo em direção ao meu quarto.

Ao som de Decode – Paramore fui para o banheiro. Enquanto esperava a banheira encher, fui até meu closet escolher uma roupa para vestir após o banho. Hoje tenho muitas coisas a fazer. Preciso falar com minhas antigas amigas, antes de viajar. Do Caribe não voltarei para Londres, irie direto para a Escócia. As aulas começam daqui a uma semana.

Depois de algum tempo, escolhi um vestido florido – que é minha cara – e uma sapatilha preta, com pequenos lacinhos cinzas enfeitando. Fui para o banheiro, despi-me e entrei na banheira, que já se encontrava cheia e com água morna.

— Mãe, eu vou me encontrar com o pessoal – avisei-a, depositando um beijo em sua bochecha.

— Tudo bem, não volte tarde – avisou e então peguei o as chaves do meu Audi R8 vermelho e saí de casa.

Nicholas – ou Nick -, Danielle – ou Dani -, Matt, Gabrielle – ou Gabi – e David. Meus amigos da época do colegial. Apesar de que, eu era a mais popular da escola, tinha poucos amigos.

Eles descobriram da minha vinda para Londres e obrigaram-me a nos encontrarmos. Típico do Nick. Estava entrando no Starbucks, quando vi uma mão acenando para mim. Reconheci a Dani. Sorri indo em direção à mesa onde estavam todos.

— Parece que o habito de chegar atrasada aos lugares não mudou – brincou David, me cumprimentando.

— Alguns hábitos nunca mudam – revirei os olhos e todos riram –, como estão? – perguntei, sentando-me entre Nick e David.

— Sim, e com você? – Dani foi a primeira a responder.

— Na medida do possível – ri pelo nariz.

Ficamos conversando um bom tempo, relembramos a época escolar, os micos – ou king-cong. – que eu passei, entre outras coisas divertidas. A hora passou voando, quando me dei conta já eram 14 horas da tarde. Eu precisava voltar para casa. Despedi-me de todos e segui até minha casa novamente.



Finalmente anoiteceu, já eram 20 horas quando todo mundo já estavam prontos. Eu desci com minha Louis Vuitton e segui até o carro preto que esperava só por mim, já que todos já estavam dentro. Não estava tão animada assim para ir ao Caribe, até por que tenho um tipo de trauma com praias, além do mais, toda aquela areia entrando em você é horrível. Mais vai que acontece algo de bom nesses dias.

[...]

— Finalmente terra firme! – exclamei quando saímos da lancha.

— Eu vou para a praia – Jase falou já saindo de nossa visão. Mamãe me encarou; “Vai atrás dela?”.

— Tudo bem – bufei e fui à procura de Jase, no meio de tantas pessoas.

Caminhando normalmente, observando ao redor e com a areia entrando na minha sapatilha – incomodando -, eu procurava Jase há uns 10 minutos. Tirei minhas sapatilhas e passei a carrega-las na mão. Quando por um momento fui passar por um local nada apropriado, acabei sentindo algo pesado sobre mim. Quando me levantei, percebi que era um garoto, que jogava vôlei. O olhei nenhum pouco feliz – apesar de saber que a culpa foi minha – não daria o braço a torcer.

— Me desculpe, você está bem? – sua voz rouca é extremamente sexy. Respirei fundo, me controlando.

— Não foi nada – sorri sem mostrar os dentes, sorriso falso, e caminhei, deixando-o sozinho.

Quando finalmente desisti de procurar Jase – que havia sumido do mundo, eu acho –, fui para o hotel, onde ficaríamos hospedados. Entrei nosso quarto – meu e da Jase –, na cobertura, joguei meus sapatos em algum lugar e deitei-me – ou joguei-me – no sofá em formato de L. Fechei os olhos e respirei fundo. A imagem do garoto de hoje à tarde não saia da minha cabeça. Depois de tanto pesar nele me dei conta de que ele era famoso. Levantei-me em um pulo e fui em direção às revistas da minha irmã. É isso.

One Direction; Harry Styles.

Ele era Harry Styles, cabelos levemente cacheados, olhos verdes. Sim, era ele. Dios Mio! Eu esbarrei em um famoso e o tratei mal. Comecei a rir feito uma idiota. Não sei o que ele está pensando de mim agora, deve achar que eu sou uma grossa, ou talvez idiota, ele pode estar pensando várias coisas a meu respeito.

— Boa noite, maninha – Jase entra no quarto como se não tivesse feito nada, fuzilei-a com o olhar – O que houve?

— O que houve? – a imitei com voz enjoada – O que houve? É que você desapareceu sem dizer para onde, e, aparece agora perguntando o que houve? – disse um pouco alterada.

— ‘Tá tudo bem ok? Não me machuquei, e estou viva aqui – disse retirando seus sapatos.

— Ok – respirei tentando me acalmar, e, logo me lembrei do acontecido hoje cedo, ela iria pirar – Encontrei com uma pessoa hoje – falei sentando-me e cruzando as pernas, como que não queria nada.

— Quem? – perguntou tentando demonstrar o mínimo de interesse possível.

Sorri pensando se contaria ou não.

— Sabe aquela banda que você gosta? – ela assentiu, demonstrando mais interesse agora – Eu encontrei aquele de olhos verdes – sua boca abriu-se em perfeito formato de “O”.

— Você só pode estar brincando – ela disse negando freneticamente com a cabeça.

— É sério, se você estivesse comigo o teria visto – encolhi os ombros e caminhei até o banheiro –, mamãe e papai pediu para que estivéssemos prontas às 20h – gritei de dentro do banheiro.

Vestida com um short preto, blusa caída do lado direito; da cor bege com um coração na frente “Break Heart”, sapatilhas preta também. Cabelo solto com ondas, olhos delineados por lápis preto e bastante rímel, boca com um simples gloss de hortelã. Eu estava pronta para o jantar. Jase demorou um pouco mais, já que sua insegurança com o que vestir era praticamente maior que tudo.

— Kate, me ajuda – pediu choramingando.

— Vai encontrar alguém especial? – zombei e ela mostrou a língua – Tudo bem sou uma pessoa muito boa, então, te ajudo.

— Então? – perguntou após sair do banheiro, vestida como eu falei. Com um vestido simples, preto, cabelo em uma trança com fios desfiados e maquiagem leve. Eu sou uma artista.

— Foi feito por mim, então... – brinquei e rimos – Vamos.

— Achei que demorariam mais – mamãe reclamou quando chegamos onde eles estavam sentados.

— A culpa foi da Jase – tratei de defender-me logo.

— Como minha irmã é uma boa pessoa – ironizou olhando para mim, à sua frente. Dei um sorriso lindo.

— Não posso fazer nada se todos me amam – gabei-me e ela fez uma pequena careta.

— Parem com isso garotas! – papai nos repreendeu – Já pedimos o jantar – eu e Jase somente assentimos. Papai tinha bom gosto culinário, então não tinha com o que se preocupar.

Enquanto esperávamos, percebi Jase olhando para alguém, que se encontrava na mesa atrás de mim. Encarei-a e ela não percebeu por estar muito “ocupada”. Olhei para trás – disfarçadamente – e vi que um garoto também a encarava. Dios Mio! Esse é um dos garotos da One Direction? Talvez seja o Zain. E os outros também estão sentados junto à ele. Oh não! Se o tal de Harry me reconhecer e ficar com raiva de mim? Isso não vai ser bom.

Levantei-me, pedindo desculpas, dizendo que não estava muito bem. Meu pai hesitou em me deixar sair, por não ter comido ainda, mas minha mãe falou com ele, que acabou cedendo. Saí sem olhar para trás, já que passei pela mesa dos garotos.


______________________________________________________________
O que acharam?? Bom, ruim? Esperando suas reações.
Esse capítulo ficaria um pouco menor, but, eu juntei com o segundo.
Também iria ter prólogo, but, eu achei que vocês não fossem querer
saber todo o enredo da fic no epílogo. Haha Kisses *-*

6 comentários:

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥