Nem todos os fantasmas são do mal - Parte 2


Será que Niall iria aparecer de novo? Ah, espero que sim, afinal, ele disse que gostou de mim, então não deixaria de aparecer. Eu queria saber sobre os fantasmas, me interessa saber e ter noção do que eles são e o que são capaz de fazer, o que ele iria me dizer. De uma hora pra outra, eu não tinha interesse em fantasmas e nem pensava que existiam, mas agora, eu me interesso, sei lá, aconteceu tudo muito rápido. A noite passou voando e logo nascia aquele sol ardente. Acordei já esperando pela noite, já que fantasmas não aparecem de dia. Levantei da minha cama, arrumei meu quarto e fui direto pra cozinha, lá estava minha mãe.
— Bom dia, mãe.
— Bom dia, filha.
— Tudo bem?
— Sim, e você?
— Estou ótima, mãe. E aí? Os quadros e os vasos ainda caem, ainda continua os barulhos e gritos?
— Por incrível que pareça, parou de acontecer tudo isso. Só os relógios que ainda param de funcionar sempre na mesma hora.
— Parou assim, do nada?
— Sim. Essa casa tem algo de estranho.
— Ah sim...
— Sim? Você sabe de alguma coisa?
— Eu? Eu não...
— Certo. Ainda bem que parou de acontecer essas coisas "sobrenaturais", como você diz.
— Bom mesmo, já estava com medo.
Medo? Eu? Nunca, só estava tentando parecer com minha mãe que tem medo de tudo. Porque será que parou de acontecer essas coisas de uma hora pra outra? Era um mistério que tinha que descobrir, e já tinha um informante, o Niall, a não ser que ontem a noite foi um sonho que parece realidade...

[...]

Depois do café fui para o quintal da casa sentir o leve toque do ar no meu corpo. O quintal era bem simples, pequeno, folhas e árvores e um rio com uma ponte quebrável de madeira. Me aproximei do rio e logo sentei na ponte, para apreciar suas águas e observar todas as coisas que haviam naquele rio, puxa vida, quanta sujeira, pneus, pedras, plantas, uma corda, uma vassoura e uma faca. Sim, uma faca. Pode ter sido a faca que usaram para matar Niall, e a corda para enforcar sua mãe. Mas quanto mistério, porque jogariam num rio? Porque não esconderam em outro lugar? Essas coisas são bem estranhas, o que me deixavam mais interessada ainda. Em uma brisa rápida passando em minha frente, eu me aproximava cada vez mais do rio, e quando eu finalmente consegui enxergar tudo perfeitamente, no rio havia uma coisa se mexendo de um lado para outro, não era a água, ou o vento, ou as plantas, parecia uma pessoa, sim, uma pessoa. De olhos abertos, coberto de sangue, roupas rasgadas, não parava de observá-lo, e já tinha conhecimento que era pai de Niall, que aparentemente morreu afogado. Não tirava o olho dele, mas de um segundo pra outro, acabei escorregando e caindo no rio. Eu gritava, gritava, e nada, queria sair dali, não sabia nadar, e para ajudar, ele se aproximou de mim e me agarrou como se quisesse me matar.
— EI! EI! ME SOLTA! AH! AH! SOCORRO! ME SOLTA PAI DO NIALL, ME SOLTA!
— Pai do do do... Niall?
— Ué, você não é?
— S-s-s-sou... e e e como você... sabe?
— Sou fascinada em fantasmas.
— Entã tã tão... você ê não tem... me medo?
— Medo de fantasmas? Não.
— Então tão... tenha.
— Porque?
— Mesmo vocêê... sabendo...
— Sabendo o que?
— Algo sobre a vi vi vida... de um fan fantasma... da daqui... algum pode te ma ma matar.
— Me matar?
— Esses... são são do m mal, mo morreram com ó ódio no... co coração.
— E eles podem aparecer pra mim?
— As as ve vezes...
Fiquei meia hora conversando com outro fantasma, só podia ser mentira, e acabei me tocando que ainda estava no rio e que estava toda suja, logo pai de Niall sumiu e se manteve em sua forma morta. Sai de lá e logo entrei em casa e fui direto para o banho.

[...]

Já era sete e meia da noite, finalmente a noite chegou. Parece que o dia passa lento demais, e que a noite muito rápida, mas hoje iria ver Niall de novo e saber tudo e matar essa curiosidade que me dominava, e mesmo não sabendo quase nada sobre fantasmas, parecia que eu tinha uma ligação com todos eles, todos que apareceram pra mim, só me observaram ou falaram comigo, nenhum me matou. Por minhas contas, seria legal viver com os fantasmas, mesmo alguns sendo maléficos.

[...]

Logo depois que jantei e assisti programas de televisão, eu fui correndo para o quarto com esperanças que Niall aparecesse lá e falasse comigo como ontem. De todos os fantasmas que já vi em minha casa, ele era o meu preferido, e o mais gato (risos). É engraçado achar um fantasma gato, mas as características permanecem. Deitei em minha cama e logo apaguei a luz, e já avisto Niall, do lado da minha cama, me observando com um olhar dominante e um sorriso malicioso.
— Niall? Já aqui? Pensei que demorasse pra aparecer.
— Por por você... eu che chego o ma mais rápido po possível.
— Não sabia que fantasmas eram fofos como você.
— Só com com... vo vo cê sou a assim.
— Ah Niall... mesmo você sendo um fantasma eu gosto do seu jeito.
— Que que... bom.
— Posso te perguntar uma coisa?
— Po po pode..
— Você sabe porque os quadros e vasos pararam de cair sozinhos, e os barulhos sumiram?
—  Ah... sim... eu fa falei pa para os fantasmas... daqui pa pararem de assustar tar seus pa pais...
— É sério?
— Sim... sim...
— E você sabe porque os relógios sempre param as 3h19 da madrugada?
— Por...que... essa foi foi a hora que que eu morri...
— Ah, me desculpe, Niall.
— Não não tem pro problema...
— Ontem nós não terminamos nossa conversa, Niall. Eu quero saber sobre os fantasmas. Algumas coisas eu já tenho conhecimento, seu pai me disse.
— Ah...os fantasmas são são tranquilos. Não não são maus co como dizem por por ai... só só se você ficar car com muito medo... e os maus maus que morreram com ódio... só querem des descontar a sua rai raiva só em quem quem os atormenta. Os fantas tasmas tem sentimentos... mesmo sendo pe pessoas mortas... eles tem tem suas próprias reações... e... ex expressões.
— Vocês tem sentimentos? Nossa, nunca passou isso por minha cabeça.
— Sim, temos, temos nossos próprios sentidos mesmo no passado termos morrido.
— Estou impressionada, Niall.
— E eu tenho uma coisa pra te falar, Marie.
O que será? Já tinha algumas hipóteses...

-


Boa noite peoples! Como vão? Eu estou ótima. Aí está a parte 2  do imagine de halloween. Ontem, eu havia dito que a parte 2 seria o final, mas ainda terá a parte 3, se não essa parte ficaria muito grande. E aí? O que acharam? O que será o que Niall tem a dizer para Marie? COMENTEM! Posto a parte 3 (final) com 10 COMENTÁRIOS. Vocês conseguem até amanhã? Kisses/Anna

18 comentários:

  1. muuuuito bom
    coontiinuuuaa !!!!

    ResponderExcluir
  2. Hihi INVOCAÇÃO DO MAL esse filme é D+!!

    ResponderExcluir
  3. Continua ta muito bom!!!!

    ResponderExcluir
  4. Uau que perfeito continua!!!!!

    ResponderExcluir
  5. nossa ameiii continua logo por favor muita curiosidadeee

    ResponderExcluir
  6. continuaaa pfv mt bom seu imagine parabens

    ResponderExcluir
  7. Continuaa ta muito bom!!

    ResponderExcluir
  8. cadê a parte 3? tah incrível, pode continuar haha xx Carol :-P

    ResponderExcluir
  9. Continua ou avisa onde ta parte 3 please

    ResponderExcluir
  10. Adorei, mtoooo legal! Continua logo!

    ResponderExcluir
  11. meu Deus poste o final eu já estou ansiosa!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  12. posta o finaaal,preciso saber qual é. :3

    ResponderExcluir
  13. mal posso esperar a parte 3

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥