Imagine Louis - Through The Dark // Parte 1



Estava cansado de um dia exaustivo de trabalho. Quer dizer, reuniões e mentiras. Estava tão distraído enquanto os outros falavam sobre como fazerem as pessoas acreditarem que meu relacionamento era totalmente real. Essa era uma daquelas missões impossíveis. Milhões de fãs já tinha consciência de que tudo não se passava de manipulação de nossa gravadora, que segundo esta temos que manter a imagem da banda. Fingir era a parte mais difícil disto tudo. Fingir que amava alguém era a gota d'água, porém concordava com a ideia de me manterem em um relacionamento pelo meu sonho de ser cantor e dos meus amigos. Impressionante como algumas pessoas adoram julgar sem ao menos tentar reconhecer a verdade como minhas saídas com o Harry. Entendiam aquilo como algo muito mais que amizade, algumas vezes até pode parecer. Mas, as pessoas que acreditavam nesta mentira, obviamente estavam erradas. Minha proximidade com Harry é algo normal, somos amigos. Admito ter me sentido atraído por ele e experimentei como era beijar homens, minha primeira e última experiência gay. Isto comprovou para mim mesmo de que eu gostava somente de mulheres.
Minhas saídas com meu melhor amigo tinham justificativa. Algumas vezes ia até o apartamento dele para comer uma pizza, tomar algumas bebidas para descontrair e passar a maior parte do tempo conversando. Harry era bom com ideias e por isso eu recorria a ele. Gostava de inovar, fazer surpresas para minha namorada para vê-la feliz e não se desgastar com a manipulação de meu namoro de mentira com Eleanor, gostava de ver seu sorriso. 
A reunião deve ter sido boa. Não estava prestando atenção em nenhuma palavra que diziam, estava preocupado demais com minha garota. Desejava chegar o mais rápido possível em casa e sentir a pele macia dela em meus braços. Algo que só pude desejar ao ouvir a notícia de que eu deveria aparecer mais vezes em público com Eleanor. Isso significava que minhas folgas e horas vagas que eu tinha disponível para (s/n) não existiriam mais. Ficaria cada vez mais difícil de vê-la.
Passei a tarde toda com Eleanor. Como sempre, fui obrigado a ir ao Starbucks, passei longas horas no shopping e jantei com ela. A pior parte não foi passar o dia todo com ela, mas sim a quantidade de paparazzis que nos seguiram o dia inteiro. O ruim de ser famosos é sempre estar na mira dos flashes e praticamente não ter um minuto de privacidade. Provavelmente as fotos, vídeos e qualquer notícia que os paparazzis conseguiram já deveriam estar em vários sites com milhões de acessos. Eu não queria ter que enganar mais ninguém. Estava enganando Eleanor, a minha amada e a mim mesmo. Eu não gostava disso.
A noite, quando meus compromissos chegaram ao fim, iria passar a noite com (s/n), porém não posso mais. Milhares de fotógrafos estão a espreita de um deslize meu para conseguirem uma foto de eu e (s/n) e consequentemente estaria estampadas nas manchetes "Louis trai Eleanor", não era isso que queria para a banda, principalmente para meus amigos.
Fui para meu apartamento, fazia muito tempo que não passava a noite lá. Tudo estava no mesmo lugar junto a uma camada de poeira sobre os móveis e objetos. Procurei pelo interruptor e acendi a luz, iluminando todo o recinto. Deixei a chave do carro na mesa de centro e me sentei, afundando o estofado do sofá.
Eu ia deixá-la. Não porque não sinto mais nada, mas porque não é justo deixar ela sozinha a minha espera enquanto eu sou obrigado a ficar com outra menina. Eu vou deixar ela ir, viver a vida dela. Não privá-la de nada, se ela voltar é porque tem que ser assim.

[...]

Na manhã seguinte acordei mais cedo que o normal, tinha a manhã livre mas não poderia ser visto, nem fotografado. Entrei sem fazer muito barulho, estava tudo apagado, provavelmente ela ainda esteja dormindo. Subi as escadas até parar de frente para a porta do quarto dela. Respirei fundo soltando o ar pesadamente e entrei. O rosto tranquilo, a respiração calma e os braços abraçados com o travesseiro que eu costumava usar quando dormia com ela. Deveria ter meu cheiro. Por um instante pensei em desistir ao vê-la tão bonita dormindo, contudo eu tinha que fazer aquilo independente do quão difícil fosse.
-Bom dia amor. -sussurrei e vi os olhos abrindo lentamente.
- Hum, Louis. É você?
- Eu mesmo.
- Que bom que você veio. Senti sua falta pela noite - ela me abraçava forte no pescoço.
- Eu também, será que eu posso conversar com você?
- Aconteceu alguma coisa na banda?
- Não. Levante-se, estarei te esperando lá embaixo. - a beijei, mal eu sabia que aquela poderia ser a última vez.
Ela havia colocado um roupão e ainda estava com os cabelos molhados devido ao banho, segurando uma xícara de chá.
- Então Lou, pode falar.
Expliquei a ela tudo o que estava se passando comigo e com a Eleanor, deixei bem claro que era pelo meus amigos e pelo meu sonho que eu estava fazendo isso, que se isso apenas me envolvesse, largaria tudo e viveria ao lado dela.
- Quer dizer que seus amigos são mais importantes?
- Eles são importantes para mim, não quero estragar algo que eles batalharam tanto, só quero que você siga sua vida sem mim, não vou te prender e fazer você ficar esperando por mim todas as noites, não é justo. Infelizmente não terei mais tempo para ficar aqui com você.
- Louis, eu aguento. Eu te amo e vou te esperar, eu quero viver ao seu lado.
Ela não iria se convencer tão fácil assim, pensei.
- Vou te falar a real (s/n). É... eu não te amo mais. Desculpa, mas a Eleanor é a garota dos meus sonhos, quero viver com ela agora. Espero que ainda possamos ser amigos, mas não dá mais nada entre nós.

(coloque para tocar xxx)

Sim, eu menti mas eu sei que mesmo se ela quiser gritar eu ainda vou estar aqui para ela, para ver o sorriso dela iluminando meu mundo. Como ela, eu perdi meu caminho. Talvez eu deixe a barba crescer, me torne um alcoólico por apenas não estar ao lado dela e não saber o que fazer. Ela só está ferida e agitada, se escondendo de seus problemas, pode ser egoísta de minha parte não considerar que ela está enfrentando isto por mim com as lágrimas que vieram para ficar. Sei que ela vai voltar para mim.

[...]

- Cara, você tá horrível
- Muito obrigado pela parte que me toca, Harry.
- É sério dude. Já olhou o comprimento dessa barba?
- Meu novo estilo.
- A gente vai entrar no palco em menos de duas horas. Qual foi o último dia que você tomou banho?
- Hum, uma semana atrás, acho.
- Então, qual é seu problema?
- É ela Harry. Eu fui um babaca de deixar ela ir. Só queria sentir ela em meus braços, poder acariciar o cabelo dela e dizer que eu amo ela, muito. Só não queria fazer ela sofrer, mas olhe quem está sofrendo, eu. Dois anos, sete meses e quarenta e oito dias que não vejo ela. É demais.
- Você quer ela de volta.
Concordei com a cabeça e me deitei em posição fetal no sofá que tinha no camarim. Só precisava dela, só dela. Deixei o choro me levar e adormeci.

Seunome POV

- Mama, cade o papai? Eu queria tanto ver ele.
- Ele viaja muito querida, mas quando der ele vai vir visitar a gente. Eu prometo.
Me senti mal, Anny nunca perguntara sobre o pai. Louis também não procurou por mim. Meses depois descobri que estava grávida, resolvi criar minha filha sozinha e deixá-la longe dele, pois se ele não era possível de amar a mãe, muito menos a filha. Não quero ele dizendo barbaridades para ela e muito menos dizendo que não queria a filha.
- Harry? Meu Deus, quanto tempo. E aí, o que aconteceu?
- (s/n) Louis está a beira da morte.
- Como assim? - me assustei
- Não literalmente, mas ele está péssimo.
- E o que você quer que eu faça? Por que não ligam para Eleanor e vê o que é melhor?
- Para de ser tão orgulhosa
- Não sou orgulhosa, só tenho uma memória muito boa para lembrar das últimas palavras dele.
- Ele mentiu, tá legal?! Ele ainda te ama. Quer que eu prove isso. Vem cá, Louis. Fale
- (s/n) Eu preciso de você, volta, volta,volta. - A voz dele soou arrastada e deprimente.
- Harry..
- É, você ouviu muito bem, agora venha pra cá. Estamos naquele estádio perto do seu antigo apartamento, se quiser venha de táxi e pagamos depois aqui.

- Filha, chegou a hora. Vamos ver o papai.

------------------------------------------------------
Hey. Gostaram? Amanhã eu escrevo a segunda parte.
Comentem
Jana

7 comentários:

  1. SIMPLISMENTE CONTINUE
    PERFECT

    ResponderExcluir
  2. amei ta perfeito
    quando posta o proximo?

    ResponderExcluir
  3. adoreei, continue.
    -Laís

    ResponderExcluir
  4. amei ta perfect
    continua por favo

    ResponderExcluir
  5. Mds Jana me iludiu kkkkk perfeito amei

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥