Imagines Louis - Through The Dark // Parte 2



Claramente eu ainda estava muito magoada com Louis, porém faria bem para nós dois conversarmos e chegarmos em um acordo sobre o que iríamos fazer. Anny pelo menos conheceria o pai e passaria algum tempo com ele até resolvermos algumas questões sobre um suposto divórcio. Ele obviamente seguiria as regras de sua gravadora e continuaria com a Eleanor, sendo assim, eu ficaria com a guarda de minha filha e ele nunca mais precisaria nos ver novamente, fazia questão disto.
Esperei alguns minutos na calçada de meu apartamento até aparecer um táxi. Sim, novo. Eu comprei um novo e vendi o antigo, me trazia muitas lembranças de Louis que no momento não faziam bem para mim. Entrei no banco traseiro do táxi com Anny, ficamos em silêncio até ela fazer perguntas. 
- Como ele é ,mamãe?
- Ele quem, filha?
- Meu papai. 
- Ele... é alto, tem os cabelos lisos castanhos, igual aos seus. Um sorriso lindo, os lábios finos, os olhos de um azul intenso. Uma barba que ele gosta de deixar, não muito grande. Ele é bem parecido com você. 
- Ele deve ser bem bonitão
- Ele é, filha. Ele é.

...

- Oi Lou! Essa garotinha ai é a Lux? - ela afirmou - Como está grande. 
- É, crescem rápido. E essa linda é quem?
- Minha filha, Anny. - Louise ficou sem o que ter o que responder. 
- Que tal você ir lá brincar um pouco com a Lux, aposto que vão ser melhores amigas. -disse para Anny
- (s/n), ela é filha do Louis, não é?! Ela é muito parecida com ele, olha esses olhos. Meu Deus! É uma mini cópia dele. Por que não disse antes?
- Ele não sabe que tem uma filha. 
- Não acredito! (s/n), ele está péssimo sem você. 
- Eu sei Lou, mas quem ele ama é a Eleanor. Não posso mudar isso. 
- Para de acreditar nisso, ele ainda te ama. E você também ama ele, consigo ver isso nos seus olhos.
- Para com isso Lou. Estou fazendo isto por Anny, em falar nisto ela deve estar com fome. Vou comprar algo para comermos. Tem algumas frutas aqui, mas acho que vão preferir toddynho.
- Com certeza -ri.

...

O show havia acabado, eu estava exausto. Não iria aguentar jantar com os meninos esta hora do noite e no estado em que estou. Aliás, não estou com muita fome e nem com vontade de ser bem humorado. Louise estava no outro camarim com Lux, aproveitei o sofá e dormi.

...

Acordei com dois olhinhos azuis curiosos me observando. Cocei um pouco os olhos e me sentei.
- Como se chama, lindinha?
- Anny. Você deve ser o tio Lou né?!
- Sim, sou eu. Cade sua mãe?
- Minha mãe foi com a tia Louise comprar alguma coisa pra gente comer. Logo elas voltam
- E por quê não te levaram junto?
- Porque disseram que você iria querer passar um tempo comigo.
- Tudo bem. Sente-se aqui no colo do tio Lou. Então, como chama sua mãe?
- (s/n). - Muita coincidência, não?
- E o seu papai? Ele está aonde?
- Minha mãe disse que eu ia conhecer ele hoje, mas ainda não sei quem ele é.
- Anny, e se eu fosse seu pai. O que você acharia?
- Eu acharia que você é um papai muito legal. Minha mãe disse que eu me pareço muito com você. Quando ela voltar, eu pergunto para ela se você pode ser meu novo pai.
Sorri com aquilo e voltei a brincar com ela e fazer perguntas.

Seunome POV

Um transito infernal me aguardava, seu soubesse nem teria saído daquele estádio. Teria esperado as desculpas de Louis e diria que também sentia a falta dele e todos iríamos para casa felizes para sempre com nossa Anny, porém não. Sempre tem um obstáculo que torna tudo mais difícil. Quando o sinal abriu, pisei fundo no acelerador aproveitando que meu carro estava na frente enquanto esperava o sinal. Depois de uma meia hora dirigindo, estacionei o carro em um mini mercado que havia aqui perto, sempre fui nele quando precisava comprar algo com urgência ou que faltava pra preparar algo.
Peguei alguns sanduíches naturais e o toddynho de Anny. Ao esperar na fila do caixa avistei Louise vindo em minha direção com Lux em seu colo.
- Cadê Anny? Por quê não a trouxe? Só faltava pagar que eu voltaria.
- Deixei ela com Louis
- Como assim? Louise, você está maluca?
- Não, (s/n) se acalma. O Louis como pai deve aproveitar um tempo com a filha.
- Tá, tá, tá. Mas vamos logo, quero terminar com isso.

...

Ao voltar onde acontecia o show, as fãs já caminhavam para fora do local, ou seja, o show já havia acabado. Lou e Lux ficaram no camarim ao lado arrumando os figurinos e a bagunça que os meninos haviam feito.
Abri a porta onde provavelmente estariam os meninos e minha filha, contudo só se encontrava Louis e Anny deitados no sofá, o braço dele envolvendo o pequeno corpo dela. Louis tinha marcas escuras em baixo dos olhos. Sua barba estava grande e o cabelo todo desgrenhado, mas em uma bagunça arrumada. Louis tinha seus altos e baixos, mas eu o amava mesmo com todos os defeitos que se tornavam qualidades ao meu ver.
Eu sentia falta dele, me isolei de tudo que poderia me fazer lembrar dos momentos felizes que tive ao lado dele. Ainda mais com uma filha, esta missão de ficar forte sem Louis se tronava cada vez mais complicada.
Me sentei no chão ao lado do sofá. Passei meu dedos pelos cabelos medianos de Anny e observei os dois deitados, juntos. Me sentia bem com aquelas duas pessoas. Acariciei a face de Louis e os cabelos macios dele.
Lentamente pude ver a imensidão azul que eram os olhos dele.
- Me desculpe -ele disse baixinho
- Shhh.
Ele sorriu fraco e perguntou sobre Anny.
- Por quê não me disse sobre ela?
- Não queria atrapalhar seus planos com Eleanor.
- Esquece ela tudo bem? Já rompi com ela, dane-se a gravadora. Deveria ter me falado,não quero ser um pai não presente.
- Me sinto feliz por isso. - passei os dedos no cabelos dele novamente e depois no rosto - Ela vai fazer aniversário daqui a dois dias.
- Meu Deus (s/n). Quase três anos longe de vocês. Me desculpe, fiz aquilo pois, achei que era o certo a se fazer mas se tornou uma confusão tão grande. Não quero mais viver longe de vocês.
- Não se preocupe. Porque nós não vamos. - Anny abriu os olhinhos sonolenta olhando curiosa para nós dois.
- Mamãe, Louis pode ser meu papai?
- Pode sim filha, porque ele é mesmo o seu pai.
Sorri e abracei as duas pessoas que mais me importavam naquele instante.
- Eu disse que iríamos encontrar um caminho na escuridão. Olhe, eu continuei aqui, se voltar é porque é seu, lembra?
- Eu amo vocês dois - Anny disse.
- Nós também te amamos filha. - Louis disse e pegou Anny no colo. Ele depositou um beijo em meus lábios e desta vez eu tinha certeza que minha vida estava completa.

---------------------------------
Hey! Desculpem por esse final, sério, eu não gostei. Não ficou como planejado, mas...
Espero que gostem e talvez eu faça mais alguns imagines assim. Comentem
Jana

5 comentários:

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥