LongFic - She's Not Afraid - Capitulo 3


Capítulo 3 - Merry Christmas 

É o momento mais bonito do ano, luzes enchem as ruas espalhando muita alegria. Eu deveria estar brincando na neve, mas eu estou de baixo do visco / Mistletoe  -Justin Bieber.
Seunome Voice’s.

Eu havia acabado de sair do hospital, havia ficado lá duas horas a mais do que o previsto, mas de certa forma isso fora bom, ocupou minha cabeça tirando pensamentos idiotas que tentei afastar. Entrei em meu carro e segui caminho a minha casa, as ruas estavam cheias de luzes natalinas e as árvores continham muitos enfeites, já era tarde por conta disso algumas pessoas caminhavam por ali, muitos casais passeavam felizes e sorriam um ao outro. Acho que eu nunca vou ter a sorte de achar alguém que goste de mim -suspirei- Quando eu tinha 17 anos, li uma frase que era algo assim: “Se você viver cada dia como se fosse o último, um dia ele realmente será o último.” Aquilo me impressionou , e desde então, nos últimos 8 anos eu olho para mim mesma no espelho toda manhã e pergunto: “Se hoje fosse o meu último dia, eu gostaria de fazer o que farei hoje?” E se a resposta é “não” por muitos dias seguidos, sei que preciso mudar alguma coisa. Lembrar que estarei morta em breve é a ferramenta mais importante que já encontrei para me ajudar a tomar grandes decisões.Porque quase tudo — expectativas externas, orgulho, medo de passar vergonha ou falhar — caem diante da morte, deixando apenas o que é apenas importante. Não há razão para não seguir o seu coração. Lembrar que você vai morrer é a melhor maneira que eu conheço para evitar a armadilha de pensar que você tem algo a perder. Eu não desisti dos meus sonhos, mas às vezes acho que eles desistiram de mim. Cansaram de me esperar. 
Mais algumas ruas e eu já estava em casa, estacionei meu carro e desci rapidamente ajeitando meu casaco, fui para o hall do prédio recebendo vários "feliz natal", tinha vontade de responder "só se for para você" mas mantive minha boa educação desejando a eles também, caminhei até o elevador esperando o oito andar que parecia nunca chegar. Caminhei até a porta do meu apartamento vendo um envelope no chão, me abaixei pegando o envelope, havia meu nome dele. Me levantei com ele na mão e abri meu apartamento, joguei minha bolsa no sofá, coloquei meu casaco encima da mesma e fui para cozinha. Peguei um pouco de chá da garrafa térmica e levei a xícara a minha boca enquanto abri o envelope lacrado, confesso que estava muito curiosa para ver quem é que havia me enviado isso.

"Eu sei que você deve estar se perguntado que diabos alguém deixaria um envelope na porta da sua casa não é? Ainda mais sem remetente, mas enfim eu sei que você se sente tão mal quanto eu em uma data dessa não é ? Não ter família deve ser difícil, mas para mim ter e não ter dá na mesma. O natal que deveria ser uma data tão feliz não faz sentido algum, mas quando descobri tudo que havia acontecido com você, percebi que alguém precisava mais de um natal feliz que eu. Bem, me encontre hoje as 23:00 horas perto do London Eye, eu te acho lá. Aliás, espero que goste do presente e use-o essa noite Xx"

Sem identificação de novo, odeio não saber, odeio ser curiosa. Eu estava ansiosa para saber quem era, mas não fazia ideia de quem era, até porque poucas pessoas sabem o que aconteceu comigo e com minha família. Minha campainha tocou corri abri-la e encontrei um entregador.

-Boa Noite, entrega para a Senhorita -me entregou uma grande caixa-
-Tem certeza que para mim ? -perguntei desconfiada-
-Me mandaram entregar nesse endereço.
-Quem mandou ? -tentei descobrir-
-Isso eu não posso dizer, tenha um feliz natal. 

Vi ele se distanciar e entrei dentro de casa -ou apartamento, chame como quiser- Fui até meu quarto colocando a grande caixa em cima dela e desembrulhei o presente, levei um choque ao ver o presente, era um vestido. Um belo vestido, ele era um pouco acima dos joelhos e de cor bege, meio rosado. Olhei no relógio e percebi serem quase dez horas da noite, me apressei para um banho. Seja quem for eu não posso estar suja, ainda mais para usar esse vestido. Eu tenho minhas dúvidas de quem é, mas não seria possível.

*** 

Quando eu era mais jovem vi meu pai chorar e xingar o vento, mas nunca entendi o porque. Eu mal sabia o que ele era realmente, eu vi minha mãe quebrar o próprio coração e depois o remonta-lo. Minha família nunca foi nem de longe perfeita, mas eu a amava. E esse seria mais um natal sozinha se eu não estivesse indo atrás de um estranho. Caminhava sozinha a essas horas por um parque lotado de gente, estava com o vestido por baixo de um longo casaco que me esquentava.
Parei em meio a multidão olhando o céu, já eram quase meia noite e nada. É talvez eu tenha sido trollada, e muito bem ainda, acho melhor voltar pra casa. Coloquei-me a andar para fora da multidão. Estava andando impaciente, ser enganada em plena noite de natal tinha me deixado com muito, muito ódio. Estava prestes a passar pela última pessoa e ir pra casa quando senti meu braço ser puxado, vi ele ali parado em minha frente, mas por que ele ?

-Feliz Natal -Harry sorriu pra mim-
-Você ? Por que ?
-Eu disse o porque na "carta", e também porque eu tinha que te falar algo que está preso no meu peito a anos -ele disse e eu senti um frio tomar conta da minha barriga- 
-Como assim Harry? 
-Olha me desculpa ser ingerido e eu estava com muito medo de fazer isso, de parecer idiota e inconveniente, mas eu não podia negar isso a mim mesmo mais. -ele suspirou- Desde que te conheci naquela escola eu vi que você era diferente, com o passar do tempo eu percebi o quanto você era perfeita, perfeita para mim. Era estranho, porque você agia comigo como uma amiga, mas quando você sorria para mim na escola eu sentia uma vontade inexplicável de ir até você e dizer o quanto eu gostava de você.
-Harry o que você está falando..
-Me deixa terminar... -eu assenti- E de repente você sumiu, e eu me culpava todos os dias por não ter ido atrás de você e ter feito algo, mas eu não sabia por que eu tinha medo de estragar tudo, eu sentia sua falta, eu me senti arrasado de uma forma que eu nunca havia me sentido antes. E oito anos se passaram e eu continuava apenas ouvindo boatos de você e sua família, mas eu não sabia nada. Eu tentei lutar contra isso, tive outras namoradas, mas tudo sempre e dava errado. Mesmo com milhões de meninas ao meu redor, era você que não saia do meu pensamento, era você que eu queria. 
-Você poderia ter me contado isso antes Harry, não digo que me apaixonei por você, porque isso foi algo que nunca aconteceu, mas eu gostava de você.
-Como você gostava de mim ? Isso é impossível, ninguém gostava de mim. Eu era apenas um zero a esquerda. Eu era um nerd idiota, ninguém poderia querer a mim. -disse em tom meio arrogante sem querer-
-Mas eu gostava de você -disse irritadiça- 
-Acho que te devo um pedido de desculpas. É que nem eu mesmo gosto muito de mim, e fico meio assustado quando alguém me diz que consegue isso. É que você parecia minha amiga, só minha amiga. -ele parou um pouco- Espera, você gostava de mim ?
-Sim -falei olhando pra ele- Eu tinha vergonha de falar esse tipo de coisa antes, mas hoje em dia não, estou velha demais para ficar com enrolações.
-Mas enfim, eu vou confessar uma coisa, depois de tanto tempo eu não consegui deixar de pensar em você, te encontrar hoje e saber de tudo isso me deixou pasmo, e eu decidi que não iria querer perder mais tempo.-sentia uma ele se aproximar muito- Me Desculpe -não sabia por exato naquele momento porque ele me pedia desculpa, mas entendi segundos depois quando o senti colar nossos lábios- 

Não sei, de verdade, o que eu estava sentindo. Era uma mistura de afeto, amor, carinho, e ao mesmo tempo eu queria distância. Me fazia bem conversar com ele, sabe? Ao mesmo tempo que eu me sentia protegido, eu tinha a impressão que aquilo não era real, que podia ser uma ilusão da minha cabeça. Talvez fosse, mas o apego era tão grande, que eu preferia não acreditar nisso. O beijo que eu tanto quis na adolescência estava acontecendo em meio a milhões de pessoas, mas eu ? Nem me importava com elas, naquele momento eu estava apenas aproveitando. Ouvi os fogos cessarem, acho que em oito anos esse foi o único natal que os desejos de "feliz natal" das pessoas para mim se fizeram real. Eu não sabia o que aconteceria depois disso, mas eu estava ansiosa.

Continued...

9 comentários:

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥