Try Again - Capitulo 1


Capitulo 1 - Eu o amo
Eu posso fingir um sorriso, Posso forçar um riso, Posso dançar e atuar. Se é isso o que você pede te dar tudo o que eu sou. / Human - Christina Perri.

 Eu estava em minha cama deitada apenas de camisola olhando o teto, era tarde, mas eu não estava com sono. Todas as noites eu costumava dormir cedo, para não ver Harry chegar, porém hoje o sono parecia não querer chegar. Eu não queria ver ele chegar, gostaria que ele pensasse que eu apenas estava dormindo, para não despejar tão rudes palavras sobre mim. Me doía saber que o homem que eu amo havia se tornado assim indócil, rude e covarde. Ele nunca havia sido assim, ele era o cara perfeito, ele era "o" cara, mas depois do casamento se transformou em um perfeito "monstro", ao qual eu me assustava quando ele tinha seus momentos de revolta. Harry nunca havia erguido sequer a mão para mim, até um jantar de família dele. Um primo dele fez uma brincadeira, ao qual todos no ambiente levaram na brincadeira, inclusive eu, mas ele não. Durante o jantar todo ele parecia compreensivo, comemorávamos um ano de casamento, mas então quando todos foram embora veio a minha surpresa. Estava ajeitando algumas coisas quando ele veio atrás de mim, já com o tom de voz alterado e me disse coisas que eu nunca imaginei ouvir, pelo menos não dele.

Flashback ...

-Seunome o que você acha que eu sou ? Um corno idiota que não percebe o que está percebendo o que está acontecendo a sua volta?
-Mas meu amor, aquilo foi apenas uma brincadeira, você não devia levar a sério as coisas que ele diz, você conhece muito bem seu primo -eu disse tentando o acalmar-
-Me engana que eu gosto, para de me chamar de meu amor entendeu ? -ele falou rispido e alto, de forma que nunca havia falado, ou melhor, gritado- Você não passa de uma vadia, uma vadia -aquelas palavras ecoavam em minha mente, ele nunca havia me dito isso, ele  nunca havia me xingado, até mesmo porque nunca dei motivos- Sabe o que vadias merecem ? Elas merecem apanhar, apanhar feito cachorro. Para que aprendam a nunca mais fazer isso.
-Mas eu não fiz nada Harry -disse com a voz trêmula dando alguns passos para trás assustada o vendo vir até mim-
-Você acha que eu sou cego ? Que eu não vi o que eu vi ? Minha família toda deve pensar que eu sou um corno, como você pode dar moral para ele na minha frente ? Eu sou seu marido sua vadia, você me deve respeito -ele disse e pela primeira vez em em 5 anos de relacionamento senti a mão de Harry arder em meu rosto me fazendo ir para o chão-

Flashback end...

Aquela noite não havia acabado por ai, para meu espanto ele chegou a me machucar, mas pior que a minha dor corporal, foi minha dor sentimental. Eu vi o homem que eu amava me machucar, gritar comigo, me dizer coisas ruins. Depois daquele dia ele demorou um pouco, mas repetiu tão ato cruel, e com o tempo, isso foi se tornando mais frequente. Durante nosso namoro ele havia sido um príncipe, o cara dos meus sonhos, mas depois de um ano de casamento se tornou nesse homem que tanto me machuca e me faz sofrer, porém não posso deixar de dizer que o amo, por mais que ele faça tudo isso comigo. Quando ele se deita comigo e me perdão, eu sei que ele vai fazer isso de novo, mas eu o perdoou, porque a bíblia mesmo diz "Quem muito perdoa, muito ama" . Sabe o mais irônico de tudo ? Harry é advogado, pois é, um homem formado em direito que sabe o quão errado isso é e todos os prejuízos que isso daria ele, tais como cadeia e ainda sim ter o direito de advogar tirado dele, mas ele sabia que eu nunca o denunciaria, eu o amava demais para isso, a ponto de ser burra para nunca deixa-lo. Eu sempre tive medo de cair nas armadilhas do amor e nunca mais conseguir sair delas. Porque quando se trata de amor ninguém consegue ser forte o tempo todo. É exatamente isso, eu não sei o que fazer, esse amor por ele me tornou mais fraca. O cara que eu amo me bate, me machuca por dentro e por fora, me faz me sentir mal, quando não faz coisa pior -dei um leve suspiro- Ouvi a campainha da casa, mas quem poderia ser a essa hora eu não fazia ideia, já são quase onze da noite, ninguém com senso de educação vem a casa, ou melhor, apartamento de uma pessoa a essas horas. Coloquei apenas um "roupão" sobre a camisola não tão curta que usava, nem liberdade para roupas eu tinhas, aliás liberdade para nada, eu era prisioneira dessa casa, Harry diz que quer me deixar no eixo, um eixo que eu não necessito, mas eu faço tudo por ele, então me calo antes que ele me machuque mais do que já machuca. Abri a porta e me dei de cara com um rapaz tão lindo, não era tão alto, era magro, tinha lindos olhos azuis ou verdes -eu não sabia distingui-los, mas estava maravilhada com tal beleza- seu cabelo era grande, castanhos e seu penteado formava um topete ou algo do tipo, ele era simplesmente lindo. Suas roupas tinham um jeito largado, mesmo assim muito lindas, aparentava pouca idade e tinha um sorriso lindo, que deixaria milhões de meninas aos seus pés.

-Olá -ele disse sorrindo me tirando de meus pensamentos- Bem eu sou Louis, seu novo vizinho de apartamento, me desculpe te incomodar a essa hora -pareceu ficar sem graça- Mas se não for muito incomodo, teria como me emprestar uma xícara de açúcar? -clichê ? Nem imagina o quanto, o vizinho bonito te pedindo uma  simples xícara de açúcar, mas o que tem de mal não é ?-
-Ah claro, sou Seunome Styles. Vou pegar uma xícara de açúcar para você -disse pegando a xícara da mão dele e indo até minha cozinha pegar o tal ingrediente para ele. Voltei a porta da sala e entreguei sua xícara com um sorriso simpático para ele que retribuía o mesmo-
-Obrigado Seunome, eu juro que assim que fizer compras te devolvo.
-Não precisa se preocupar, não irá me fazer falta -disse dando um riso fraco-
-Oh, mesmo assim obrigado -ele abriu o sorriso um pouco mais e depositou um beijo suave em minha bochecha, assim saiu andando e adentrou seu apartamento-

Estava prestes a fechar a porta, mas algo a me impediu de realizar tal ação, antes que eu pudesse abrir a porta novamente e olhar quem quer que fosse, ou o que quer que fosse, a porta foi aberta ou melhor, lançada contra a parede brutalmente. Olhei com os olhos arregalados por tal ato, foi ai que vi ele em minha frente. Seus olhos verdes agora mais escuros que antes, seus punhos cerrados, seus cheiro de álcool que exalava, seus cabelos levemente bagunçados, seu terno meio desajeitado e o ódio, que agora estampava sua face me causando calafrios. Ele parecia furioso, me fuzilava com os olhos. Ele me segurou pelos ombros e olhou fixamente em meus olhos.

-O que você acha que estava fazendo de gracinhas com aquele vizinho?
-Ele só pediu um xícara de açúcar emprestada, eu não fiz nada de mais.
-Você o atendeu de roupas de dormir e ele ainda te recompensou com um beijo, oras que meigo -usou tom irônico- Você acha que eu sou idiota, que desculpinha mais fajuta essa sua. Você não tem vergonha de me trair dentro da minha própria casa ? -ele disse me jogando no sofá-
-Eu não fiz nada de errado Harry -disse com medo, sabendo o que viria pela frente-
-CALA BOCA SUA VADIA -gritou me assustando- Você é uma vadia, vadias merecem ser punidas -ele esbravejou enquanto retirava o cinto de sua cintura-
-Harry não por favor, de novo não -falei em vão sentindo seu cinto bater em minha perna com força, deixei um grito de dor escapar-
-Quanto mais gritar, mas eu irei te bater -ele falou com ódio e me calei, bateu novamente e sufoquei um grito-

Ele continuou com aquilo por mais algum tempo, eu estava ali, machucada, emudecida pelo cara que eu amo. Quando ele caiu em si parou com aquilo, me olhou com certa tristeza nos olhos e deixou que seu cinto caísse no chão. Se agachou e me abraçou sem dizer nada, me encolhi um pouco talvez por medo, ele me abraçou mais forte ainda percebendo isso. Me pegou no colo e me colocou na cama delicadamente, beijou minha testa e foi para o banheiro. Eu não sabia se aguentaria viver assim para sempre, eu não sabia de mais nada, essa não era a vida que imaginei para mim, mas era com ele que teria que me contentar. Por que eu ainda não o deixei ? Bem, acho que a resposta é bem óbvia pra você já, eu o amo. 

Continued...

10 comentários:

  1. Aiii q triste vc me fez chorar! mas estou ansiosa pelo próximo cap... xX

    ResponderExcluir
  2. Mds!!!!! continuaaaaa

    ResponderExcluir
  3. Nossa perfeito diferentes de todos imagines q ja li parabéns continuaa por favorr....
    Letícia

    ResponderExcluir
  4. meu deus ,voce escreve muito bem , ate me emocionei lendo , serio voce precisa continhuar se nao eu morro kk

    ResponderExcluir
  5. Continuaaa ta perfeito!! :)

    ResponderExcluir
  6. Manoo,continuaaa ta muito perfeito,qnd vc posta o outro cap?

    ResponderExcluir
  7. Cara me fez chorar rios ru ñ pensa em meus pensamentos kkk'

    ResponderExcluir
  8. oi Jana! Fazem alguns meses que parei de ler seu blog, falta te tempo, slá. Mas estou com muitas saudades, e quando entrei aqui, percebi que muita coisa mudou. Queria lhe dar os merecidos parabéns, o blog está muito organizado, bonito, caprichado, enfim, está lindo! Um espetáculo. Não tenho do que reclamar. E pretendo retornar a acompanhar o blog e principalmente esta fic, amei o primeiro capítulo, você tem muito talento pra escrever. Eu realmente não achava mais graça em fics hétero, mas você conseguiu prender a minha atenção.
    Beijos!!!
    Carol xx ; P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, obrigada amore mas essa fanfic não é minha, presta mais atenção em quem postou, odeio que confundam -.-

      Excluir

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥