Try Again - Capitulo 3 (Hot)


Learning To Love - Capitulo 3 (Hot)

O amor não é um lugar para ir e vir quando como desejamos. É uma casa que entramos e nos comprometemos nunca partir. \ Love is Not a Fight - Warren Barfield

Ninguém sabe ao certo dizer o que é exatamente o amor, é algo complicado que a gente simplesmente sente. É de fato inesperado, quando você percebe está acorrentado a ele e suas consequências. É algo completamente irracional, quanto mais se ama, menos tudo passa fazer sentido. É como se você se jogasse de um precipício, mas rezar que nunca chegue ao chão. Não vemos, mas acreditamos que á sim um pouco de amor dentro de nós, pelo menos em boa parte das pessoas. Pode nos tornar fracos, o amor nos torna fraco sim, nos faz prisioneiro de um sentimento que tanto machuca, mas também é tão belo. Nos faz tomar escolhas difíceis, mas que são as certas, ou não. 
Quando conheci Harry descobri isso, ele me fez criar sonhos, expectativas. Quando tudo parecia dar certo, deu errado, mas só então percebemos que o amor é feito de altos e baixos, que é ele que vai te salvar. Quando  você sem fé, sem rumo, sem foco. É esse sentimento tão puro que iá te ajudar, é ele que irá te guiar até o seu porto seguro. Quando se ama, até mesmo o orgulho pode ser vencido, nunca pude controlar meus sentimentos e com Harry não foi diferente. 

-Você está bem Seunome? Tão calada -ele disse me olhando-
-Eu penso em como isso é estranho, não entendo isso.
-Eu já te expliquei.
-Eu sei... Eu queria esquecer por um momento algumas coisas que de alguma forma me fazem tão mal. Queria esquecer as vezes que você já me fez chorar com apenas uma palavra.
-Me perdoe, eu ainda estou aprendendo a amar. Eu não posso te perder, porque quando você ama sente necessidade da outra pessoa. Não por dependência, carência e outras coisas. Mas porque é bom estar ali, com o corpo junto, coração do lado, ouvindo a respiração. Você se sente em casa. Eu preciso de você, eu preciso de você para viver, para sorrir, eu preciso de você pra respirar, preciso de você pra poder dormir em paz todas as noites, preciso de você pra acordar e ter forças pra continuar, eu preciso de você pra ser o que eu tenho de melhor, preciso de você em minha vida a todo instante. Preciso de você o tempo inteiro, motivo da minha felicidade. Preciso de você pra me sentir feliz, meu ar, meu mundo, meu tudo. Preciso de você pra me entender, pra reclamar comigo quando eu estiver errado. Preciso de você pra ter sempre aquela paciência, preciso de você pra me ensinar o grande sentido da vida e pra ter um também, que no meu caso ele é você. Você é o que dá a minha vida algum sentido. Preciso de você simplesmente porque é a parte de mim, que eu mais quero e que eu desejo a todo instante, preciso de você cada dia mais e mais. Você sabe que eu não sou nada sem você nesse mundo ou em outro qualquer lugar. Você enche meu coração de esperanças nos dias mais tristes, você me faz bem com um simples sorriso, uma simples palavra, com um simples gesto, com qualquer coisa eu fico feliz, basta eu estar ao seu lado. Basta eu te ter comigo. Então continue comigo, continue sendo o motivo do sorriso estampado em meu rosto. Continue sendo minha força quando me sinto fragilizada. Continue comigo mesmo que eu te dê motivos para partir. Só quero que você fique permanentemente ao meu lado. Não serve outra pessoa, tem que ser você, apenas você.

***

Já era tarde estávamos chegando no apartamento, ele havia me tratado bem a noite toda como a tempos não fazia. Fechei a porta e Harry me encostou na mesma me beijando, suas mãos passeavam por meu corpo. À medida que o beijo se tornava mais intenso, mais eu queria que a distância entre nós diminuísse o mínimo possível. Minhas mãos não se decidiam entre seus ombros, suas costas, seu peitoral e seu abdômen. Eu precisava recordar cada parte daquele corpo que eu tanto desejava, o corpo que me completava e do qual eu sentira tanta falta de explorar cada pedaço. A tempos eu e Harry não fazíamos mesmo amor, se amor e sexo tem diferença ? Sim, muita. Sexo você pode fazer com qualquer, é algo mais corporal. Amor é algo feito com sentimento, é algo que você faz somente com quem realmente ama. Mas, a tempos que eu nem sentia mais sequer prazer em estar nos braços do meu marido.
Suas mãos não paravam de se movimentar. Ele quebrou o beijo, ofegante, e segurou meu rosto entre suas mãos, enquanto sorria.

- Senti tanta falta disso... – Sussurrou. Não soube se ele se referia ao beijo, à viagem de suas mãos ou à sua mania de observar meu rosto que sempre me deixava envergonhada -
-Eu também...
-Prometo ser melhor dessa vez -roçou nossos lábios- Eu te amo...
-Ele também te amo -senti nossos lábios se colarem outra vez- 

Seus dedos brincaram com o zíper do vestido que eu usava, descendo o mesmo aos poucos   era quase tocável o desejo em seus olhos. Minhas mãos passeavam pelo corpo dele, por todo ele mesmo, sentia ele arrepiar com alguns toques meus. Desabotoei os botões da camisa azul marinho dele vagarosamente, soltamos o beijo e eu pude jogar a camisa dele no chão. Ele desceu os beijos para meu pescoço me fazendo suspirar e fechar os olhos, minhas mãos bagunçavam seus cabelos. Não demorou muito para que meu vestido caísse no chão, as mãos de Harry passeavam por meu corpo, acariciando cada parte dele. Levei minha mão a barra da calça dele, enrolando para a descer.

 - Não me provoca, Seunome... Ou você vai se arrepender. – Seu tom rouco era uma tentativa de ameaça, porém eu só achei completamente sedutor.

Suas mãos desceram para as minhas coxas e as apertaram, indicando o que Harry queria. Me apoiei em seus ombros para tomar impulso e envolver seu quadril com minhas pernas, as quais ele explorava vorazmente, apertando-as de vez em quando e me fazendo estremecer. Aquele toque era único.
Meus lábios se direcionaram ao seu pescoço e comecei a beijar, mordiscar e sugar o local, arrancando suspiros pesados de Harry, que ainda matava as saudades de minhas pernas.
Voltei a beijar seus lábios e ele me desencostou da porta, espalmando suas mãos em minha bunda para me segurar, obviamente se aproveitando disso. Minhas mãos puxavam seus cabelos sem piedade enquanto ele caminhava, retirando uma de suas mãos de meu corpo apenas por um segundo. Logo descobri que era para abrir a porta do quarto, já que, assim que entramos, Harry me jogou sem delicadeza alguma sobre a cama.
Seus olhos me observaram por alguns segundos, me fazendo corar, e Harry sorriu, se deitando sobre mim. 
 Senti seu hálito bater em meu ouvido e logo sua voz sussurrou:

- Tem certeza de que você realmente quer isso? – Perguntou, me fazendo abrir os olhos e encará-lo. Será que ele não me queria mais como antes? – É o que eu mais quero, mas não pretendo te obrigar a nada e...
- Acho que agora você devia calar a boca. – Sussurrei e ele riu, voltando a beijar-me.

Fui descendo a calça  dele aos poucos com meus pés, ele mesmo tratou de terminar de tirar a a própria calça. Estávamos os dois apenas de roupas íntimas, nossas mãos não se decidiam em um só lugar e os olhos dele me observavam.  Fiz força para que invertêssemos as posições e consegui, ficando sobre ele com uma perna em cada lado de seu tronco; observei seu abdômen e seu peitoral nus e fortemente definidos, o que me fez morder o lábio inferior.

- Vai ficar só olhando? – Harry perguntou, a voz levemente ofegante, e ele sorria quando o olhei.
- Vai sonhando. – Rebati, fazendo-o rir e minhas mãos tocaram seu corpo, arranhando-o.

Senti-o arrepiar sob minha pele e comecei a beijar onde minhas unhas tocavam, mordendo sem piedade algumas vezes, sendo mais enérgica ao mordiscar seus mamilos, causando um suspiro de sua parte.
Ao chegar embaixo de seu umbigo com meus beijos, mordi o local e minhas mãos a barra de sua boxer, a qual não fiz delongas para retirar.  Voltei a beijá-lo, tendo meus lábios mordidos e sugados pelos seus, o que me fez gemer. Harry inverteu novamente as posições, desenhando o contorno de meu corpo com suas mãos, as quais logo foram para o fecho frontal de meu sutiã. Vi meu sutiã cair no chão do quarto, mas nesse momento não estava me importando com isso. Ele partiu o beijo e foi descendo os beijos, deixando rastros quentes por onde passava, suas mãos acariciavam meu seios e ele ia descendo os beijos por minha barriga até chegar em minha calcinha, a qual ele tirou com os dentes.

Sua boca que buscou meus seios agora, sugando-os e mordendo, causando o mesmo efeito em mim – porém mais forte – e afundei meu dedo em seus cabelos, puxando-os. Harry resolveu sugar meus mamilos rígidos e tive que morder o lábio para não gritar; ele contornou-os com a língua e então subiu seus beijos até meu pescoço, jogando seu peso lentamente sobre meu corpo e nos fazendo deitar novamente. Seus lábios foram até minha orelha, mordiscando o lóbulo, causando um arrepio em mim.

- Sabe a melhor parte de estarmos juntos por cinco anos? – Sussurrou ainda próximo ao meu ouvido com a voz rouca, recebendo minhas unhas fincadas em suas costas como resposta.

Harry ergueu o rosto e olhou em meus olhos, enquanto suas mãos desciam pela lateral de meu corpo.

- Eu sei exatamente o que você gosta. E como você gosta. – Um choque elétrico percorreu meu corpo diante de tão incontestável e provocante frase.

Seus dedos lentamente tocaram minha intimidade com movimentos de vai-e-vem e circulares em torno do clitóris, não deixando que eu me importasse com os incontroláveis gemidos que agora escapavam de meus lábios, apenas com o prazer que ele me causava.
Os seus movimentos se tornaram ainda mais rápidos, entretanto ele parou de súbito, causando um gemido de reprovação de minha parte.

- Harry... – Pedi, a voz ainda desestabilizada.
- Sim, meu amor, o que deseja? – Perguntou cínico, acariciando minhas pernas.

Ao invés de respondê-lo com palavras, puxei seu rosto com força contra o meu, beijando-o intensamente e querendo sugá-lo para dentro de mim. Não demorou para que eu sentisse seus dedos voltarem a agir, dessa vez com movimentos lentos e torturantes... Exatamente como eu gostava, assim como ele dissera.
Fui pega de surpresa com dois de seus dedos me penetrando e foi impossível não quebrar o beijo para gemer, observando de forma distorcida seu sorriso satisfeito. Ele movimentava-os insanamente rápido em meu interior, não demorando a causar o meu primeiro orgasmo. Harry beijou-me, transmitindo todo o desejo que sentira por aquela situação e eu mal conseguia respirar direito. Seus lábios se separaram dos meus e ele olhou em meus olhos.

- Eu poderia te beijar para o resto da vida... Se eu não tivesse uma ideia melhor para o momento. – Meu coração pareceu saltar em meu peito e Harry mordeu meu lábio inferior com força antes de refazer o mesmo caminho de beijos que já fizera anteriormente e chegar ao mesmo destino.
Ele afastou minhas pernas delicadamente e eu senti o calor de sua língua me tocando e me fazendo gemer mais algumas vezes – para se somarem às incontáveis que ele já provocara. Sugou-me com força e me agarrei ao lençol ao meu lado para não gritar, apertando-o ainda mais cada vez que Harry repetia o ato, cada vez com mais intensidade e me levando à loucura.
Seus dentes arranharam levemente meu clitóris e depois o morderam com força, causando um misto de dor e prazer completamente surreal e me tornando incapaz de conter reações sonoras. Alguns minutos de paraíso depois, uma formigação conhecida invadiu meu corpo, avisando meu segundo orgasmo.

- Te falei para não me provocar. – Sussurrou com os lábios próximos aos meus mais uma vez e eu não era capaz de expressar qualquer reação que fosse.
Recuperei-me o mais rápido possível com sua língua acariciando a minha e suas mãos explorando meu corpo sem pudor; deitei-me sobre seu corpo e beijei e arranhei-o até chegar ao seu membro um tanto quanto rígido já. Olhei para cima e sorri ao ver sua expressão quase angustiada.

 Eu acariciei o interior de suas coxas, apertando-as. Beijei sua glande, sentindo-o estremecer, e então voltei meu rosto para cima, beijando seus lábios e deixando minhas mãos descerem por seu corpo até alcançar e envolver seu membro pulsante de tão rígido.
Comecei a masturbá-lo lentamente e suas mãos apertavam minha cintura à medida que eu o fazia. Alternava os movimentos entre rápidos e lentos, o fazendo soltar resmungos de reprovação. Resolvi que movimentaria minha mão lentamente e ele separou seus lábios dos meus.

- Seunome... – Sua voz era quase implorante e eu sorri.
- Sim, meu amor, o que deseja? – Usei a mesma frase que ele utilizara comigo, vendo seus olhos se preencherem de uma mistura de sentimentos e ele agarrar meu cabelo, me puxando para um beijo.

Acelerei meus movimentos o máximo possível e Harry suspirava continuamente, tentando inutilmente me beijar. Quando ele pareceu não aguentar mais, inverteu as posições e retirou uma camisinha da gaveta do criado-mudo. Retirei-a de sua mão e ele sorriu, observando-me colocá-la nele com cuidado.
Ele olhou fundo em meus olhos mais uma vez e então sussurrou:

- Eu te amo. – Beijou a ponta de meu nariz ao terminar de falar e eu sorri.

E logo o senti me invadir, com força e de uma vez só, causando um gemido simultâneo de nós dois. Ele esperou alguns segundos antes de investir novamente, dessa vez lentamente e apenas pela metade, mais uma vez me provocando – e se provocando por conseqüência.
Não precisei pedir para que seus movimentos se acelerassem e intensificassem, o próprio Harry não aguentou o ritmo e investiu rápido, se colocando inteiramente dentro de mim, quase me rasgando por dentro. Minha boca dava som a palavras desconexas e meus olhos se reviravam em suas órbitas com o prazer de me sentir preenchida por ele, de sentir nossos corpos fundidos em um só.
Não demorou para que eu chegasse a mais um orgasmo, logo sendo acompanhada por ele.

Seu corpo caiu sobre o meu, inteiramente suado e ofegante. Comecei a fazer um cafuné, enquanto eu mesma tentava normalizar minha situação. Harry se levantou da cama de repente e foi até o banheiro. Voltou pouco depois, já livre da camisinha. Deitou-se novamente e me puxou para deitar em seu peito, enquanto dedilhava carinhosamente as minhas costas e cintura. Fiz alguns desenhos desconexos em seu abdômen, até que ele levantou meu rosto e sorriu o meu sorriso predileto, dando-me um beijo suave. Afundei meu rosto em seu pescoço, notando que Harry se arrepiou levemente com o encontro de minha respiração e sua pele.

- Seunome... – Ele chamou e eu o olhei. –  Senti falta disso -não soube se expressar-
-Eu também Harry -o selei-

Narrador on.


E ali ambos adormeceram juntos, com pequenos sorrisos formados em seus lábios. O tempo havia passado, muitas coisas haviam mudado, mas ainda havia dentro deles um grande sentimento, o amor. Era um sentimento puro, ingênuo, sem restrições. Mas, que estava se debilitando por conta das crises inexplicáveis de Harry. Ele tinha um medo de perder a mulher, mas suas atitudes impulsivas não ajudavam em nada. 
Eles haviam construído uma história linda até aquela noite, e agora queriam retomar essa história apagando esse pesadelo. Nunca se é tarde para amar, nem para dizer eu te amo. Ninguém sabia explicar como o amor havia surgido ali, mas como dizem por ai "o amor é como um passarinho, canta sem ter pena e nasce sem ter ninho" . Eles estariam sempre juntos, mesmo quando estivessem completamente perdidos. Eles eram os melhores juntos, onde quer que fosse, no trabalho, em sua cama, em passeios, quem os via inveja porque pareciam um casal perfeito.
O roteiro da vida deles já estava escrito, ninguém poderia mudar aquilo. Seunome não poderia negar que Harry havia a ajudado demais, ela se sentia na beira de um abismo, se sentia ferida, mas não a cura para o que não é doença. Foi então que ele apareceu, a guiou, a fez se sentir feliz e mostrou a ela, o que era o amor. As vezes o amor parece querer rasgar em pedaços, para que ele possa guardar os pedaços em pote e no fim tentar juntar tudo novamente.

Londres, 2008.

Harry acordou com o som de seu celular tocando e resmungou se levantando. "Quem diabos liga para alguém em plena quatro horas da madrugada?" -ele pensou e pegou o celular, leu Raphael na tela. Por que o irmão de Seunome o ligava essa hora ?

-Alô? -ele disse com uma voz rouca e sonolenta-
-Harry, me diz que a Seunome está ai com você? -ele respondeu meio desesperado-
-Não, ela não está. Por quê? -Harry começou a se preocupar-
-Ela saiu para ir na casa da Ana e não voltou, disse que antes da meia noite estaria de volta, mas já são quatro da manhã e nem sinal dela dude.
-O QUE? ONDE É ISSO ?-alterou sem tom de voz devido a preocupação-

***

Faziam exatos cinquenta minutos que o carro de Harry rodava por Londres, mas até agora nem sinal de Seunome. Ele parou em uma lojinha de conveniências para comprar uma garrafinha de água, foi então que ouviu uma senhora falar.

-Não tive coragem de parar meu carro, parecia uma perfeita emboscada. Uma garota caida em meio a chuva como se tivesse acontecido algum mal. Estava á um cem metros daqui.

"Garota, mal, Seunome" -ele pensou e saiu em disparada deixando a água e o dinheiro parar pagar ali. Pegou seu carro e dirigiu com pressa até lá, viu a mesma caida na grama do pequeno parque. Saiu do carro em disparada e a pegou em seu colo.

-Seunome, fala comigo meu amor -ele tentava ver algum sinal da noiva, mas nada. Ela tinha a pele gelada, por conta de toda chuva que deveria haver tomado. Os lábios roxos, a cabeça e os braços se penderam para baixo. Ele a levou para o carro e a colocou a coberta que havia trazido nela- Você vai ficar bem Seunome, eu vou te salvar. Eu te amo -ele havia pronunciado aquelas palavras pela primeira vez a ela, mas aquilo havia valido como um juramento-

Continued...

8 comentários:

  1. Continuar está perfeita a fic continuar logo por favor leitora nova

    ResponderExcluir
  2. omg, estou apaixonada por essa fic ♥
    Leitora nova aqui!
    trydream.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Aii meu Deus isso é perfeição pura!!! Continuaa

    ResponderExcluir
  4. que fic perfeita é essa ?!
    to amando continua logo!!!

    ResponderExcluir
  5. Continuaa ta perfeito!! :)

    ResponderExcluir
  6. ta perfeito..mas eu queria saber se vc abandonou a lonfic SHE'S NOT AFRAID tava muito legal eu queria que vc continuasse, é muito ruim quando alguem abandona algo assim por favor continuava mas se vc ja tiver postado passa o link pra mim

    ResponderExcluir
  7. Que perfect *------*
    continua please :D

    ResponderExcluir
  8. amoooooooooo essa fanfic mas só postam de vez e nunca ai fica chato :/
    Julka

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥