Imagine com Liam Payne - Primeira Parte - Agora ou Nunca


- Acorda amor, acorda! Tá nevando, vem ver! - meu namorado dizia pulando feliz em cima da cama. Me segurou pelo braço me ajudando a levantar e seguiu correndo até a sacada do nosso apartamento. - Olha só, que bonito.

Você: Nossa! - eu dizia maravilhada. Chegamos em New York há poucas semanas e essa seria a primeira vez que víamos neve em toda a nossa vida.

Brian: Vamos descer! - ele disse mirando seu olhar sobre mim, seus olhos brilhavam.

Você: Hey, calma. Precisamos de roupas adequadas, lembra?

Brian: Não. Agora vamos - segurou meu braço novamente.

Você: Dá pra parar por favor? Você está parecendo uma criança. - ele se virou bufando e voltou para o quarto.

Não havíamos assistido o jornal ultimamente para saber que uma nevasca estava a caminho da cidade. Não podia deixá-lo sair tendo o risco de ter uma hipotermia. Era mais seguro comprar casacos e suéters fortes o suficiente para evitar isso. Pensava em alguma ideia para resolver esse problema, enquanto a pequena criança estava no quarto com raiva de mim. Tive uma ideia que poderia funcionar.

- Alô? - escutei sua voz suave por trás da linha telefônica.

Você: Emilly? Aqui é a (S/N). Estava querendo saber se você topa ir comigo comprar algumas roupas pro frio.

Emilly: Hum.. espera. - o barulho do choque de seu telefone com algum superfície me fez perceber que ela não estava mais lá. Alguns segundos depois retorna. - (S/N)?

Você: Aqui.

Emilly: Eu vou sim. Posso passar aí agora?

Você: Sim. Mas por favor traz um sobretudo pra mim, é que eu não tenho nenhuma roupa de frio ainda.

Emilly: Tudo bem. Até logo.

Emilly é apenas uma amiga que conheci no trabalho. Fiz faculdade de moda há pouco tempo no Brasil e vendo o meu potencial, sem querer me gabar, me ofereceram trabalho de estilista em lojas de departamento para noivas. Conheci Emilly lá. Sua irmã me encomendou pessoalmente o meu primeiro vestido para o seu casamento, e ainda me convidou. Naquela época ainda era verão. Emilly é uma mulher já divorciada, com um filho chamado Peter. Ele é um amor. Ela é pedagoga e ama o que faz, trabalha em uma escola pública perto de casa há três anos.

Emilly: Tô aqui em baixo, vem correndo que o sangue esquenta. - disse rindo e desligou.

Você: Amor! - fui andando até o nosso quarto e o vi mexendo em seu computador. - Estou indo comprar umas roupas no shopping com a Emilly. Daqui a pouco eu volto, quer alguma coisa?

Brian: Não. - respondeu concentrado.

Sempre tive uma queda por caras crianções, ainda não sei porque. Brian é um cara legal, adora fazer piadas e cozinhar, tinha olhos num tom quase mel e seu sonho era ter um restaurante qual pudesse jantar todo domingo a noite com toda a sua família reunida.

- E aí? - dizia sorrindo enquanto eu tremia com o frio.

- Desgraçada. - digo ainda tremendo, ela joga o casacão por cima de mim esfregando-o na minha pele, para aquecer mais. - Obrigada.

...

- Amor? - perguntava rondando o apartamento. - Cadê você?

Emilly: Encontrou ele?

Você: Não. - dizia já assustada. - Brian!

...

- Calma, vai ficar tudo bem. - Emilly dizia enquanto dirigia rapidamente ao hospital.

Você: Brian, a gente já tá chegando - eu dizia acariciando sua cabeça. Ele estava pálido e tremia.

Estava com medo de algo muito grave estar acontecendo, a pior sensação era a de que eu não poderia fazer nada, mesmo que a vontade me consumisse. Os sinais, por obra do destino estavam verdes, era o destino em que sempre acreditei.

Emilly: Por favor, uma maca! - gritou na frente do hospital.

Dentro de minutos enquanto ele ficava no meu colo, a ajuda chegou. O via sendo carregado por aquelas pessoas desconhecidas, tendo a esperança de que em poucas horas ele retornaria aos meus braços. Nos sentamos na sala de espera, nos abraçamos e víamos mais pessoas chegando o tempo todo. Cortadas, desmaiadas, vomitando, era isso o que eu via. Talvez isso acontecesse por estarmos no hospital central. A maioria das pessoas vem pra cá, muitas são transferidas, mas casos graves como esse não deveriam ser ignorados.

Emilly: Está chorando? - ela me perguntou, quando notei algumas lágrimas rolando pelo meu rosto. - Não chora amiga, vai ficar tudo bem. Você vai ver.

Você: Eu sei que ele vai ficar bem, eu tenho fé. - digo suspirando, olhei para os lados e encontrei uma máquina de café, levantei-me e caminhei até lá, parando ao lado de um cara alto.

- Droga! - ele dizia balançando a máquina.

Você: Precisa de ajuda?

- Essa porcaria engoliu minha moeda. - fez uma careta.

Você: Deixa que eu te ajudo. - pedi licença e com cuidado, mexi um pouco a máquina mas nada acontecia. - Boa tarde, mas a máquina de café não está funcionando. Pode nos ajudar? - digo depois de caminhar até a recepção do hospital.

- A máquina está sem café.

Você: Hum, meu amigo colocou a moeda dele dentro, tem como pegar de volta?

- Não.

Você: Tá, tudo bem.

Emilly me observava de longe, e olhando para o garoto, ficou surpresa. Cheguei mais perto dele e falei:

Você: Olha, ela disse que a máquina está sem café, e não tem como pegar sua moeda de volta - fiz careta.

- Tudo bem, não preciso daquela moeda - deu um sorriso torto e eu saí procurando por um pouco de água e informações.

Encontrei um bebedouro pouco perto da grande porta por onde o Brian passou, pelas janelinhas, não pude enxergar nada. Peguei um copo extra e levei até a Emilly, com certeza ela iria aceitar.

Você: Toma.

Emilly: Valeu.

Me sentei e ficamos esperando por um tempo, notei que o garoto não parava de nos olhar. Viu que eu estava o observando, se levantou e caminhou em nossa direção, sentou na cadeira vaga ao meu lado e ficou calado.

Você: Então.. - digo o olhando, seu olhar me levava a Emilly que permanecia calada. - Qual o seu nome?

- Liam, Liam Payne. - estendeu sua mão até mim, a apertando.

Você: Meu nome é (S/N) - sorrio sincera. - Porquê está aqui?

Liam: Ah, um amigo bebeu demais e passou muito mal, ele até desmaiou. - disse rindo. - cara fraco! Ele está tomando um pouco de soro na veia.

Você: Nossa.

Liam: Pois é. - ele riu. - Mora aonde?

Você: Aqui mesmo, mas nasci no Brasil.

Liam: Está fazendo intercâmbio?

Você: Não, estou morando definitivamente aqui.

Liam: Ah sim.

Ficamos calados por um tempo, quando um garoto loiro veio andando lentamente até nós e disse:

- Já podemos ir.

Liam virou-se pra mim, agradeceu pela companhia e saiu andando com o seu amigo bebedeiro.

Você: Que garoto lindo, meu Deus.

Emilly: (S/N), você sabe quem ele é? - fiz que não com a cabeça. - ele é Liam Payne, da banda One Direction.

Fiquei séria, sorri um pouco me lembrando da época em que gostava da banda e me perguntei mentalmente do porque eu não consegui reconhecer o seu rosto.

Emilly: A gente pode ir em algum restaurante comer? Tô morrendo de fome. - Emilly dizia manhosa. Levantei com desdém e fui até a recepção, pedindo que caso tivessem alguma notícia, me avisassem.

Você: Vamos.

Saímos a pé até o restaurante mais próximo, e quando chegamos lá demos de cara com os garotos do hospital. Os dois estavam sentados em uma mesa próxima ao balcão em que estávamos fazendo os pedidos, quando ele nos viu, abriu um sorriso e nos convidou para sentarmos junto a eles.

Liam: E aí, quanto tempo não? - ele disse rindo.

Você: Anos - respondi.

- Sentem-se - o loiro falou feliz.

Você: E aí, está melhor?

Niall: Estou sim, valeu por perguntar. - disse rindo. - Meu nome é Niall, você deve ser a (S/N). E você é..

Emilly: Emilly. - sorriu.

Niall: Prazer.

Liam: Então, porque vocês estavam no hospital?

Você: Meu namorado teve uma hipotermia porque saiu na neve sem as roupas adequadas e parou no hospital. - digo rindo mas triste ao mesmo tempo e o meninos ficaram assustados.

Niall: Ele vai ficar bem, só precisa de um pouco de calor.

Assenti e continuamos a conversar, meia hora depois recebo uma ligação do hospital, era hora de voltarmos para casa.

Emilly: Quem era?

Você: O hospital, o Brian acordou e está esperando a gente.

Emilly: Ah, sim.

Você: Então, foi um prazer conhecer vocês. Temos que ir, tchau!

Liam: Ei, espera. Me passa o seu celular pra gente conversar mais vezes - disse sorrindo.

Você: Claro. Nos vemos mais tarde. - dei-lhe um abraço e saímos do local.

Caminhava em silêncio e satisfeita por tudo ter dado certo, olhei para trás achando que seria a última vez que o veria na minha vida. Eles estavam entrando dentro de um carro branco.

- Liam On -

Aquela garota, alguma coisa mexeu comigo. Não sei se foi o olhar, ou o jeito que sua boca se movia, ela era absolutamente linda.

Niall: Foi ela, não foi?

Liam: Foi sim. - eu dizia sorrindo.

Niall: Lembre-se da Sophia.

Liam: Não tem como esquecer.

Já curtiu a nossa página no facebook?
Demorei bastante pra conseguir completar
esse imagine e ainda falta terminar 
a segunda parte, espero que tenham gostado!
Sobre Apparently: minhas sinceras desculpas
as meninas e a todo mundo que lê, mas tive
alguns problemas com a internet :/

6 comentários:

  1. CON-TI-NUA LOGOOOOOOOO... PELO AMOR DE Deus ESTOU TÃO ANCIOSA PARA CONTINUAÇÃO,QUE LEVANTEI EM PLENA 1hr5min. SÓ PRA COMENTAR ><

    ResponderExcluir
  2. Conntiiinuuuaa rapidooo pfffffv

    ResponderExcluir
  3. Continuaa ta mt perfeito :)
    Xx Karol

    ResponderExcluir
  4. Muiiiiiito Perfeito!!!
    Continuaaa... xX

    ResponderExcluir
  5. continua o mais rapido possivel.... ta perfeito amor *--*

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥