Imagine com Liam Payne - Segunda parte - Agora ou nunca


- Alô? (S/N)?

- Sim, é ela.

- Sou eu, o Liam. Espero que esteja tudo bem com você, eu estou sentindo sua falta.

Foi essa frase que fez o meu mundo parar, há pouco tempo nós vinhamos trocando mensagens mais íntimas. Coisas que eu diria ao meu namorado por exemplo. E sim, ele anda indo muito bem. Acho que aprendeu a lição de escutar as pessoas.

- Está sim, como vai o clima em Londres hoje? - perguntei sorrindo e me sentando na cadeira do escritório.

- Chuvoso, em breve vai nevar. Nossa, vai fazer um ano desde que nos conhecemos.

- É sim, e sabe.. deveríamos comemorar. O que acha?

- Ainda não tenho previsão para ir aos EUA. Na verdade, ainda não posso contar nada. - disse sussurrando.

- Tudo bem. - eu respondi risonha, ele viria em breve.

- Mas que tal você vir até Londres? - perguntou já em tom normal - Já que você nunca veio até aqui porquê não conhecer a cidade da rainha com a minha companhia?

- Tem o Brian, Liam.

- Ah, aquele cara. Sério que ainda estão juntos?

- Sim Liam.

- Porque você não vê que pertence a mim? - lá vamos nós, tudo de novo.

- Liam, essa história de novo não. Vivemos em realidade diferentes, você sabe.

- Argh, tudo bem. Mas queria te dizer o verdadeiro motivo da minha ligação: queria saber se você está interessada em desenhar uma linha de roupas para as nossas directioners e boydirectioners, claro. Você topa?

E o meu mundo parou novamente, fiquei muda na linha do telefone.

- (S/N)? - peguntou em tom preocupado.

- Nossa, você me pegou de surpresa - ele riu - Liam, eu trabalho com outro tipo de roupas. Você sabe...

- Isso foi um não?

- Não! Claro que não. É que não tenho muita prática com isso.

- Tente.

- Vou fazer uns desenhos, só pra testar. Pra quando quer a resposta?

- O mais rápido possível, se você decidir de madrugada pode me ligar sem piedade de me acordar. Quero dizer, se você me ligar á noite será madrugada aqui.. - ele dizia fazendo a sua linha de raciocínio, tenho certeza que sua testa estaria franzida - Enfim, me pertube a qualquer hora.

- Pode deixar. - digo rindo.

- Tenho que desligar, até mais.

- Até.

...

- E ele te chamou pra desenhar as roupas da marca 1D? - peguntou surpresa - Garota essa é a sua chance! Você faz ideia de quantas pessoas vão comprar as roupas que você desenhar? Você vai ficar rica!

O dinheiro era o que mais me importava nesse momento, com a crise financeira no país as vendas caíram demais e não conseguia pagar as minhas contas. Brian também não tinha o melhor emprego do mundo.

- Não sei Emilly - minha voz estava fanhosa devido a gripe - Terei que ir a Londres, vou deixar você, o Peter, o Brian, o meu emprego. E se as coisas não derem certo?

- Pare de pensar no lado ruim da coisa. O Brian não é criança - ela parou e olhou para o nada - quero dizer, em estado físico mas ele sabe se cuidar sozinho - rimos. - Eu posso vir cuidar dele de vez em quando - e fez algumas insinuações de sexo.

- Em, sua biscate! - rimos ainda mais - Meu namorado não!

- Enfim amiga, tudo vai dar certo. Liga pra ele. - pegou o meu telefone e me entregou, comecei a discar e escutei a porta ser aberta.

- Oi amor! - era o Brian - Em, tudo bem? - cumprimentou ela com um beijo na bochecha, ela assentiu. - O que estão fazendo? - veio até mim e me deu um beijo na testa.

- Planejando o futuro.

- Ah, sim. - caminhou até a cozinha. - E quais são os planos?

Emilly olhou até mim com cara de dúvida, sussurrou "ainda não contou pra ele?" e eu neguei.

- Amor? Está aí? - perguntou falando mais alto.

- Estou.

- Então responde, ué.

- Foram só algumas expectativas. Planos, concursos, essas coisas.

- Ah.

Então ele passou por nós mordendo um sanduíche, e de meias. Essa era uma mania que ele tinha desde sempre. Quando chegava do trabalho ia até a cozinha, se descalçava e preparava alguma coisa prática, ia até o quarto apenas de meias e assistia um pouco de tevê, tomávamos um banho juntos e namorávamos, então logo adormecíamos.

- Conta pra ele o quanto antes, viu.

- Tenho medo dele se chatear e desconfiar de alguma coisa entre mim e o Li - ela arqueou uma sobrancelha.

- E não rola nada entre vocês?

- Sou uma garota crescida Em, tenho minhas responsabilidades. Nunca teria coragem de trair o Brian.

- Vontade é o que não falta não é, com um cara como aquele batendo á sua porta - disse risonha.

- Não, não seria capaz de fazer isso. Melhor você ir embora e cuidar do seu filho - fez uma expressão triste, se arrependendo do que tinha dito - Me desculpe, mas tenho algumas coisas pra resolver agora.

Emilly assentiu e saiu sem cerimônias, caminhei até o quarto e vi o garoto sendo usual. Dei um suspiro alto e ele nem notou minha presença, após meia volta fui até a cozinha e comecei a desenhar.

- Amor?

- Hum?

- Acorda, vamos pro quarto - segurou a minha mão e me carregou até a cama, deitou-se e me deu beijo longo.

Já de manhã, acordei com uma sensação boa como se tivesse tido um sonho lindo. Era tarde e o Brian já teria saído para trabalhar, me despreguicei e caminhei até os desenhos sorrindo, liguei para o Liam.

- Alô? Liam?

- Não, aqui é a Sophia. Quem fala?

- Aqui é a (S/N), amiga do Liam, me desculpe incomodar mas ele está? - perguntei receosa.

- Sim, espera só um minuto.

Dito isso escutei alguns sussurros e passos, até a minha voz favorita ser ecoada pela linha telefônica.

- (S/N)? Oi, como vai? Pensou na resposta?

- Sim Liam, eu pensei. - sorri - Eu quero muito ir e acho que tenho capacidade de desenhar para vocês, fiz alguns desenhos ontem á noite, estão bons.

- Que ótimo. Não quer me mandá-los pelo fax? Ou e-mail? - disse depois de uma pausa - Preciso mostrá-los para a diretoria.

- Claro - falo depois de hesitar - Até logo.

...

Três semanas depois eu chego em casa cansada de mais um dia de trabalho. Fazia os desenhos do vestido e as roupas ao mesmo tempo, disseram que precisavam de uma seleção de modelos maior para poder escolher então a cada respiração eu busco um modo de me inspirar para tantas coisas.

- Brian? - o silêncio era absoluto, o que me assustava. - Brian?

Andei mais um pouco, as janelas estavam abertas então ele estaria no apartamento. Não era do seu costume sair e deixá-las abertas. Depois de alguns segundos de frio na barriga, o encontro sentado na cama lendo uma carta de expressão séria.

- Porquê não me disse antes? - continuava observando a carta.

- O que eu não te disse antes?

- Que você estava trabalhando para a One Direction, que pretendia ir para Londres em alguns dias. Porquê não me contou?

- Me desculpe.

- É só isso o que tem a me dizer? - me olhou indignado.

- Eu pretendia te contar, mas nunca parecia ser a hora certa, eu nunca estava com vontade de te contar.

- E preferia que eu soubesse assim? Do nada?

- Não era a minha intenção amor. Todos os dias eu ia te contar, mas sempre deixava para o amanhã.

Ele se levantou e foi para a varanda, observei a carta curiosa e havia uma passagem de avião para a Europa daqui há alguns dias. A carta vinha da empresa dos meninos e junto nela um bilhete do garoto londrino que dizia estar ansioso. Eu pisei na bola com o Brian, deveria tê-lo dito.

- Vai ficar aí congelando? - depois de algum tempo ele continuava parado olhando para o nada.

- Vou.

- Para de birra. Eu sei que fiz mal, mas não há mais nada para se fazer.

- Só tem uma passagem, eu vou depois ou eu vou ficar aqui? - suspirei - Acha melhor terminarmos, não acha?

Fiquei em silêncio, não queria abrir mão dele.

- Eu não quero terminar, mas vai ser melhor para não estarmos presos um ao outro.

- Pra você não se sentir culpada quando estiver com o tal do Liam Payne.

- Ele tem namorada Brian.

- Você também é comprometida, e isso não o impediu de lhe dar umas cantadas. Acha que eu não vejo quando você sorri boba trocando mensagens com ele? Costumava ser o mesmo jeito bobo que você tinha quando lia as minhas mensagens, ou quando eu dizia alguma coisa engraçada.

Suspiramos juntos.

- Além do mais, tem uma garota chamada Clarisse. Ela está na minha, e ela é muito gata.

Sorrimos juntos.

- Amigos? - eu perguntei estendendo as mãos.

- Só se eu ainda puder te dar uns pegas - rimos e nos abraçamos. Então esse foi o nosso fim?

- Alguns meses depois -

- Não Liam! - eu gritava com ele - Você disse que estaria aqui. Mas você não está, você nunca está.

- Me espera (S/N), fica aí.

- E você acha que eu vou para onde? Me diz!

Desliguei na cara dele. Estava cansada de tantas desculpas que ele me dava para não terminar com a megera, era meu aniversário e ele não veio. Já era a segunda mancada. A primeira foi quando marcamos de sair juntos, mas o esperei durante duas horas com uma salada fria no prato branco. Ele não aparecia.

Levei a minha mão á cabeça pensando em voltar aos Estados Unidos, afinal, eu já tinha conseguido o que mais queria aqui, dinheiro. Como as adolescentes compravam tudo o que eles tivessem, a coleção havia sido um sucesso e esgotado das lojas parceiras e oficiais nas primeiras semanas. Não havia mais nada a se fazer aqui.

- Está bem? - Niall perguntou passando suas mãos nas minhas costas, estávamos no banheiro do andar de cima.

- Não.

- As pessoas estão notando que tem algo errado, o Liam já vai vir. Vamos descer e nos distrair.

- Não, ele não vai.

- Vamos descer.

- Eu só não o entendo.

- Vamos.

Me puxou e descemos devagar. Os poucos conhecidos circulavam pelo andar debaixo, descia as escadas tentando sorrir com o meu batom vermelho, e o meu vestido de festa.

- (S/N), está tão linda! - Harry disse me girando, todos os seus amigos estavam aqui, menos o mais importante.

- Obrigada Harry.

- Hum, que vestido lindo. Foi você que desenhou? - sua acompanhante morena, Kendall, perguntou.

- Sim.

- Poderia desenhar um pra mim? - perguntou feliz.

- Claro.

- Não é hora de falar sobre isso querida, vamos beber alguma coisa - disse Harry a puxando pelos ombros.

Continuei andando pela festa e embora escutasse as gargalhadas dos convidados ela parecia estar tão chata, as horas se passavam e a minha garganta se fechava conforme eu esperava pela sua chegada. Mas ele não vinha.

- Vamos cortar o bolo, (S/N), o Niall está com fome.

Ele assentiu abraçando a Barbara de lado.

- Ok.

Engoli a seco e andei até a mesa do bolo, e então com a ajuda dos nossos amigos ascendemos as velas e cantamos parabéns, não tinha a mesma graça que em português, mas já era uma coisa. Comemos, conversamos, brindamos, e então todos foram embora.

- Alô?

- Oi (S/N), sou eu, o Brian - escutei sua risada - Me desculpa por estar ligando assim tarde, mas queria te desejar um feliz aniversário. Como vão as coisas por aí?

- Não vão muito bem - sorrio - o Liam não apareceu.

- O quê?

- Eu também fiquei surpresa.

- Que triste, poxa.

- Eu sei. Obrigada por se lembrar, a gente conversa mais amanhã. Vou dormir um pouco pra tirar essa dor de cabeça.

- Está bem, até mais.

Desliguei e me deitei na cama, pensando em o quanto tive de trabalho para deixar esse dia perfeito, estive quase lá.

"(S/N)!", "(S/N)!".

Escutava alguém me chamando, então me levantei da cama e olhei de relance pela janela assustada. Era o Liam. Fiquei tão feliz ao vê-lo ali embaixo, que desci as escadas daquela casa correndo, nem lembrando no momento que ainda estava vestida para a festa, apenas um pouco desajeitada. Me olhei no espelho perto da porta principal e ele continuava a gritar o meu nome, deveria pensar que eu estava o ignorando, e eu queria estar.

- Ei, não acha que gritando assim vai acordar os meus vizinhos vagabundo? - ele se assustou e riu, talvez do meu jeito grosseiro de chamar a sua atenção, ou de alívio pensando que me importava por ele estar parado no meu jardim. - É madrugada, o que você quer aqui?

- Você.

Eu sorri.

- Eu vim até aqui, me ajoelhar pra você e te dizer que eu finalmente terminei com a Sophia. Que não sei por quais motivos demorei tanto pra tomar a iniciativa de estar com você agora. E peço desculpas por ter faltado nesses momentos importantes da sua vida, eu tinha planos para essas duas noites mas é como se algo tivesse me impedido de fazê-los. Quero me tornar alguém melhor ao seu lado e nada melhor do que você aceitar o meu pedido. (S/N), você aceita namorar sério comigo?

Ele tinha os braços abertos para mim naquele momento, tentava sorrir mas eu já conhecia o seu modo nervoso. Não havia anel ali, mas havia algo maior, o seu coração.

- Não acha que começamos a nossa história de um jeito inusitado?

- Ainda não começamos - disse receoso.

Dei-lhe as costas e caminhei até um banco de concreto no meu jardim.

- Liam, eu seria a garota mais estúpida do universo se não aceitasse namorar com você. Mesmo depois disso tudo.

- Mesmo depois disso tudo?

- Mesmo. - assinto.

Ele se levantou com dificuldade e se sentou ao meu lado, nos abraçamos e olhamos para as estrelas por alguns segundos.

- Acho melhor você subir porque eu planejava te fazer uma serenata na sua janela, mas você desceu.

Ri.

- Que tal fazer essa serenata na nossa cama? - sorrimos maliciosos e nos beijamos.

...

- Anda que estamos atrasadas!

- Calma, a cauda está enrolada - digo me abaixando.

- Nossa, como esse vestido é pesado.

- E lindo - eu falo.

- E lindo. - Em concorda.

Namoramos durante alguns meses e ele teve a ideia de me pedir em casamento. Nada que eu não suspeitasse, já que uma vez fomos ao parque de diversões e por curiosidade fomos á uma vidente. Ela nos disse que iriamos ser um só em breve, e aqui estou. O medo percorria nas minhas veias, e tinha vontade de desistir de tanto nervoso, mas era agora ou nunca, se não eu ficava pra titia.

Acaboou. Me desculpem pela demora
gigantesca, foi bem difícil elaborar esse
imagine. Vou demorar com Apparently,
meninas. Acabei de sair dos simulados
e lá vem bomba. [Risos]. Hoje é
aniversário do daddy direction!
Muito obrigada as que comentaram
nos capítulos anteriores da fanfic.
Fiquei muito feliz e motivada! Beijoos.

A Milion Miles 1 - The One That Got Away


Niall
"Mais uma semana Niall, só mais uma semana" Eu disse para mim mesmo quando levantei da cama, meu cabelo estava todo bagunçado e minhas olheiras podiam ser vistas da lua, mas o pior de tudo era que a ada dia Anna parecia mais animada com a ideia de ir para Londres e isso me machucava profundamente. Tipo, ela esqueceu de todos os nossos planos? Ficar em Toronto? Terminarmos nosso livro de fantasia? Sim, do dia pra noite ela parecia ter me esquecido e isso era sufocante. Reuni a última foça que tinha em mim e fui me arrastando até o banheiro. A água estava quente e batia nas minhas costas como se implorasse para eu me jogar no chão. Peguei minha calça jeans no armário bagunçado, uma blusa branca lisa, um blusão xadrez e um all star branco que demorei anos para encontrar o pé direito, catei a minha mochila no canto do quarto e me arrastei para a rua. Anna estava sentada em uma mesa do lado de fora da ButterCoffe, a cafeteria onde tomávamos café todo dia antes de irmos para a escola. Hoje ela estava excepcionalmente bonita, com um vestido  azul marinho com pássaros brancos e um all star que pra ela era uso obrigatório, quase tanto quanto calcinha.
-Bom dia Anna.- Joguei minha mochila em cima da mesa
-Bom dia.
-Já pediu o seu?
-Aham, café extra forte com bastante açúcar e um waffle com manteiga. Quer que eu vá lá dentro pedir o seu? Acho que a Lucy está de folga, absurdo.- Lucy era a nossa amiga que trabalhava no ButterCoffe, ela tinha seus vinte e poucos anos e trabalhava pra ganhar um salário mínimo que mal dava para pagar suas contas e ainda tinha que sustentar sua filha, Karen, um presente do babaca do seu ex namorado.
-Não, deixa, eu vou lá.
A senhora velha com a pinta estranha estava parada no balcão olhando para o nada.
-Bom dia, eu quero um café extra forte sem açúcar, por favor.
-Tá.- Ela saiu dali e entrou na cozinha, voltei para a mesa e me sentei de frente para Anna.
-E então, animado pra faculdade?- Ela perguntou com o brilho nos olhos de uma criança que ia ganahr o brinquedo dos sonhos.
-Nem tanto.- Dei de ombros.
-Porque?
-Bom, simplesmente porque eu tinha um plano, você tinha um plano, tínhamos todo um mapa do que faríamos e você resolveu cagar em cima de tudo pra estudar no cú do mundo, EM OUTRO CONTINENTE!-Eu bati com a mão na mesa.
-Niall, você sabe como isso é importante pra mim, não venha dar seu show agora, não agora, você acha que eu gosto de te deixar aqui? Não, eu não gosto, mas existem coisas mais importantes do que nossos planos de crianças.
-Tipo...
-Tipo...Tipo...Tipo muita coisa Niall, não se trata de eu querer ou não, se trata de eu ter que fazer, mas se eu pudesse, eu ficaria, ainda podemos terminar nosso livro.
-Não, obrigado, termina sozinha ou com qualquer pessoa merda que você conhecer em Londres.- Peguei minha mochila em cima e saí andando.
-E SEU CAFÉ?- Ela gritou.
-ENFIA NO SEU...QUER SABER, LEVA PRA LONDRES, LEVA TUDO PRA LONDRES!- continuei andando em direção ao colégio, odiava brigar com a Anna, mas aquilo já estava me sufocando, eu precisava falar alguma coisa, eu não podia perder minha melhor amiga, assim, do nada, para outro continente, não podia mesmo.

A Milion Miles


Anna tem quase 18 anos e se vê na seguinte situação: Abandonar todos os planos de vida em Toronto e ir para Londres? Ou ficar e cumprir cada jura e cada promessa, cada plano que fez e perder a chance de sua vida?
-O que você vai fazer Anna?
-Eu não sei Niall, eu não sei.
Em uma história cheia de amor, aventuras e passagens de avião, Anna vai decidir seu destino, mas sem se lembrar de que temos que ter uma vida de festa.



Life Of The Party (Shawn Mendes)
I love it when you just don't care
I love it when you dance like there's nobody there
So when it gets hard, don't be afraid
We don't care what them people say
I love it when you don't take no
I love it when you do what you want cause you just said so
Let them all go home, we out late
We don't care what them people say

We don’t have to be ordinary
Make your best mistakes
‘Cause we don’t have the time to be sorry
So, baby, be the life of the party
I’m telling you, to take your shot it might be scary
Hearts are gonna break
‘Cause we don’t have the time to be sorry
So, baby, be the life of the party

Together we can just let go
Pretend like there’s no one else here that we know
Slow dance fall in love as the club track plays
We don’t care what them people say

We don’t have to be ordinary
Make your best mistakes
‘Cause we don’t have the time to be sorry
So, baby, be the life of the party
I’m telling you, to take your shot it might be scary
Hearts are gonna break
‘Cause we don’t have the time to be sorry
So, baby, be the life of the party

Come out tonight, come out tonight
There’s no one standing in your way
Come out tonight, come out tonight
We don’t care what them people say
We don’t care what them people say

We don’t have to be ordinary
Make your best mistakes
‘Cause we don’t have the time to be sorry
So, baby, be the life of the party
I’m telling you, to take your shot it might be scary
Hearts are gonna break
‘Cause we don’t have the time to be sorry
So, baby, be the life of the party

Yeah, yeah, yeah
Life of the party
So don’t let them keep you down
Oh, you know you can’t give up
‘Cause we don’t have the time to be sorry
So, baby, be the life of the party

Vida de Festa
Eu adoro quando você simplesmente não se importaEu adoro quando você dança como não houvesse ninguémEntão, quando ficar difícil, não tenha medo

Não nos importa o que eles dizem

Eu adoro quando você não leva nadaEu adoro quando você faz o que você quer, só porque você disseEntão, deixe-os ir para casa, estamos fora até tarde

Não nos importa o que eles dizem
Não temos que ser comum


Faça seus melhor erros

Porque nós não temos tempo para lamentar

Então, querida, seja uma vida de festa


Eu estou dizendo a você, tire sua foto, pode ser assustador


Corações vão quebrar


Porque nós não temos tempo para lamentar


Então, querida, seja uma vida de festa
Juntos podemos deixar ir


Fingir que não há mais ninguém aqui que conhecemosDança lenta para o amor, como os jogos do clube da trilha

Não nos importa o que eles dizem
Não temos que ser comum


Faça seus melhor erros

Porque nós não temos tempo para lamentar

Então, querida, seja uma vida de festa

Eu estou dizendo a você, tire sua foto, pode ser assustador

Corações vão quebrar

Porque nós não temos tempo para lamentar

Então, querida, seja uma vida de festa
Seu amor hoje à noite, o seu amor hoje à noite


Não há ninguém ficando em seu caminho

Seu amor hoje à noite, o seu amor hoje à noite

Não nos importa o que eles dizem

Não nos importa o que eles dizem
Não temos que ser comum

Faça seus melhor erros

Porque nós não temos tempo para lamentar


Então, querida, seja uma vida de festa

Eu estou dizendo a você, tire sua foto, pode ser assustador

Corações vão quebrar

Porque nós não temos tempo para lamentar

Então, querida, seja uma vida festa
Sim, sim, simVida de festa


Portanto, não os deixe mantê-la para baixo

Oh você sabe que você não pode desistir

Porque nós não temos tempo para lamentar


Então, querida, seja uma vida de festa





Saudades? Saudades


Oi amores, tudo bem com vocês? Pois é, fiquei tanto tempo sem entrar aqui, espero que não tenham se esquecido de mim. Bom, eu estou de volta (agora é sério mesmo) e como eu já havia dito antes, eu vou excluir a fanfic que eu estava escrevendo As Long As You Love Me, pois, como eu já disse antes também, hoje, olhando pra ela, ela não me parece, não sei, certa, entendem? Doideira minha. Mas, se acalmem, isso quer dizer você não vai postar mais nada Mariana? NÃO, definitivamente não, eu estou escrevendo uma fanfic nova, ela se chama A Milion Miles, ela foi inspirada na música Life Of The Party do cantor Shawn Mendes, se ainda não ouviram o ep dele, precisam ouvir e agora, sério mesmo, ele é muito bom.
Bom, acho que devo uma explicação pra vocês do porquê de eu ter sumido, mas vamos resumir dizendo que agora eu estou me sentindo como Ariana Grande em Break Free. Bom, aguardem as novidades.

Beijos,
Mari 

Apparently - Capítulo Trinta e Oito - Luzes da cidade


- No capítulo anterior - 

- Para de ficar ligando para os problemas dos outros, eles não são da sua conta - e então entrelaçou nossos dedos, voltando a conversar com os seus amigos.

Juro que se eu não estivesse tão apaixonada por ele, o bateria ali mesmo. Um tapa não faria mal a aquele rosto macio. Então olhei novamente para a (S/N), no mesmo momento em que ela olhou para mim e deu um sorriso triste, o que me contagiou, então tentei me afastar do Zayn e ir para o lado da minha amiga, mas quem disse que ele queria soltar?

...

- Hey, que tal darmos uma volta? - levantei sua cabeça - Só nós duas.

Ela assentiu, peguei em sua mão e a guiei em direção as lojas. Fomos andando sem pressa nenhuma, só então começamos a conversar.

Claire: Então.. o que acha de comprarmos algumas roupas?

Você: Não quero fazer isso. Prefiro tomar um sorvete.

Claire: Então vamos - cruzei nossos braços e fomos caminhando calmamente em direção a sorveteria que ela mais gostava.

Você: E como estão você e o Zayn? - rolei os olhos.

Claire: Nada sério até agora. Sabe, mas eu acho que a gente tem tudo pra dar certo.


- Narradora On -

"Tudo pra dar certo?", foi o que (S/N) pensou quando a amiga lhe disse isso. Se sentiu espantada, pois nem parecia a sua amiga. Pouco tempo depois de terminar o sorvete ficaram jogando papo fora, quando Claire a contou como ela e o Zayn deram o primeiro beijo: disse que eles haviam discutido mais uma vez, ficaram se encarando quando o garoto começou a chorar, o que fez o seu coração amolecer; sendo assim, chegou mais perto dela, puxou-a e a beijou; disse que o gosto era doce e a textura de seus lábios lhe pareciam as nuvens.

Ok, escutar a sua amiga falar de como é bom estar apaixonada enquanto você se sente na fossa não é tão mal. Mentira, é sim. Ainda mais quando você vê o garoto que você gostava andando com outra garota, como se ele já tivera dado a volta por cima. E ela arrependida, continuava nos braços do garoto por quem sempre se considerou apaixonada, mesmo que hoje não pense exatamente assim. Harry era idiota, apesar de ser um cara legal. O achava bonito e sei lá, apesar de tudo se sentia confusa.

Durante a conversa, já mais animadas Claire recebeu uma mensagem do Zayn avisando que o filme iria começar, continuaram sentadas olhando uma para a outra e perceberam que nenhuma das duas estava afim de ir. Decidiram aproveitar esse passeio raro juntas. E ela ainda respondeu, dizendo para ele arrastar o cachos para qualquer lugar e se entreterem depois do filme, como a casa de jogos.

- Então onde vamos primeiro?

- Não sei. - (S/N) ficou em silêncio, mas logo se lembrou - O aniversário da minha mãe está chegando, que tal procurarmos algum presente legal?

- Vamos. O que ela mais gosta de ganhar?

- Ela gosta de artigos de decoração, mas eu já tenho outra ideia. Ela ama a Madonna, não tem algum cd novo que ela não tenha?

- Não sei, se não percebeu não sou muito fã desse tipo de música. - disse e riu.

- Vamos logo.

Foram até a loja, encontraram alguns cds e tiveram a ideia de montar um kit da cantora com uma camiseta, o novo cd que sim, havia lançado há uma semana e algumas outras coisas. O dinheiro havia sido depositado na sua conta no banco pelo seu pai, e deu graças por isso. Tiveram receio de ser algo muito adolescente para a sua mãe já na casa dos quarenta, e esqueceram isso indo até uma livraria checando os novos lançamentos.

Depois disso não sabiam mais o que fazer dentro do shopping, avisaram aos outros que iriam embora e então pegaram um táxi parando para comprar algo pra comer no Starbucks, assim voltando a Evelyn Grace Academy não parando para ver da janela as lindas, interessantes e intrigantes luzes da cidade.

O capítulo não tá grande, só enrolei pra poder
dar sequência. É um capítulo descartável.
Beijo minhas gatinhas que hoje eu tô de TPM.

Apparently - Capítulo Trinta e Sete - Eu peço desculpas


- No capítulo anterior -


Niall: Você não me ama mais não é isso? - ele perguntou novamente, firme. Eu mantinha o meu olhar baixo pensando: talvez eu nunca tenha te amado.

Você: Eu não sei. Me desculpe, mas eu preciso pensar.

Me levantei com as pernas bambas tendo a impressão de ter a mente vazia, mas pensando em tudo ao mesmo tempo.

Desconhecido: (S/N)?

Você: Lou?

Louis: Meu Deus o que aconteceu? - perguntou me abraçando, no meio do corredor.

Você: Briguei com o Niall, não é nada...

Louis: Como assim não é nada, vem. Vamos para o seu quarto.

E assim seguimos, caminhei me segurando para ser forte e não deixar as lágrimas caírem. Fiquei abalada de um jeito inexplicável.

Louis: Me conta agora.

Você: O Niall me viu beijando o Harry - ele franziu o cenho - e ele ficou magoado. Então fui conversar com ele mas agora me vejo confusa com o que sinto. Mas pensando bem, ele não tem motivos pra ficar assim já que só estamos ficando.

Louis: Acha que ele não tem motivos? Se toca (S/N)! Para de se fingir de inocente, você sabe que ele te ama!

Você: Mas poderia ter sido da boca pra fora.

Louis: "Mas poderia ter sido da boca pra fora" - disse me imitando com uma voz nojenta - Você pode ter falado da boca pra fora. Mas vindo dele pareceu falso pra você?

Fiquei calada, o olhei e ele estava vermelho. Então preferi mudar de assunto, embora o nó na garganta me fizesse falhar algumas vezes.

Você: Você tinha me dito que precisava falar comigo.

Louis: Sim, era só para dizer que o nosso namoro falso acabou.

Você: Pensei que já tivesse acabado há muito tempo - digo rolando os olhos.

Louis: Era só isso mesmo, ainda bem que eu me livrei de você.

Então ele levantou da minha cama e saiu batendo a porta, eu sentia vontade de socar o travesseiro e quebrar tudo. Mas quando me deitei e fechei os olhos, pude perceber a pessoa que eu estava me tornando. Eu precisava pedir desculpas, mas não era uma boa hora, tudo estava muito recente.

Donna: Ei, o que aconteceu? - perguntou fechando a porta assustada.

Você: Nada.

Donna: Pensa que não, mas eu e a Emma vimos o Louis saindo daqui furioso. Discutiram não é?

Você: Donna, não é da sua conta - digo me virando para a parede.

Donna: Se quiser assim então tá. Não sou eu que vou me isolar do mundo depois - disse fazendo desdém.

Você: Tanto faz, cala a boca - ok, agora sim me arrependi.

No outro dia, no café da manhã Louis e Els passaram ao meu lado e nem me cumprimentaram. Também nem tinham razão para tal ato, apenas me fiz de desentendida. E a cada hora do dia que se passava as coisas pioravam, sentava sozinha quando o Harry estava ocupado, o Niall passava batendo no meu ombro nas aulas que tínhamos juntos e todas as vezes em que ele e Harry se encontravam nos corredores as faíscas voavam formando aquele clima tenso que todo mundo tentava evitar. Afinal, era sexta-feira.

...

Harry: E aí, qual os planos? - perguntava enquanto eu lia uma revista, com os pés em cima do seu colo na sala de lazer.

Você: Nenhum.

Harry: Ah, qual é. Vamos dar uma volta, namorar.. que tal? - perguntava mordendo a minha orelha.

Você: Não estou afim de sair.

Harry: Aff, mas que chata. - respondeu me largando rapidamente - O que aconteceu em?

Você: Nada.

Zayn: Ei, casal. - Zayn apareceu todo feliz, mas quando viu minha cara mortal engoliu o que tinha para falar. Se sentou do nosso lado e depois de uns cinco minutos perguntou olhando para o chão - Vamos dar uma volta com o pessoal?

Harry: Vamos! Estou louco pra sair, mas essa chata não quer ir - disse me cutucando de leve, que coisa irritante!

Você: Vamos logo antes que eu mude de ideia!

Zayn se levantou num pulo e disse:

- Vou avisar o pessoal. Se vistam!

Harry: Vou assim mesmo, e você (S/N)?

Você: Vou colocar uma coisa mais arrumada, já volto.

Digo correndo para o quarto, observando Donna se maquiar.

Donna: Vai sair?

Você: Sim, vai também? - ela assentiu.

Procurei pelo guarda-roupa algo que me agradasse, pedindo assim ajuda a Donna, que aparentemente sairia conosco.


Me olhei no espelho pela terceira vez, me achando bonita. Quando olhei para Donna também me admirando pelo espelho, ela levantou-se e sentou-se na sua penteadeira retocando seu batom. Caminhei até ela lentamente e disse:

- Muito obrigada por me ajudar, e peço desculpas pelo modo que falei contigo ontem. Fui grosseira.

Donna: Tudo bem, nada supera o que fiz com você há algum tempo atrás. - disse com um sorriso torto, cheguei perto dela e depositei um beijo estalado na sua bochecha.

Saímos logo em seguida até o portão de entrada, esperamos mais um pouco pelo resto do pessoal e conseguimos a liberação do diretor. Nem me dei conta de Claire que estava ao meu lado, apenas quando ela disse:

- Adorei o batom - deu um sorriso e se prontificou ao lado de Zayn, rindo e conversando.

- Claire On -

Claire: E aí Zayn!

Zayn: Ah, oi Claire. A noite está bonita, não é?

Claire: Sim, muito. - eu sorria igual uma idiota, estar apaixonada é assim.

Andamos e conversamos bastante, paramos para tomar um milk shake e seguimos ao shopping, decidindo qual filme iríamos assistir no cinema. Olhava para trás e (S/N) ás vezes sorria, e ás vezes ficava olhando para baixo. Na maioria das vezes sua cabeça ficava apoiada no braço do Styles, que era bem maior do que ela. Seguia seu olhar triste e via aonde dava, nas mãos entrelaçadas do Niall e da Emma.

Foi nessa hora que fiquei confusa, quando isso tinha começado? Balancei o Zayn discretamente, o mesmo não ligou já que estava entretido conversando com o Liam e Louis sobre futebol. Então os mandei calar a boca, sendo direta, e cochichei ao Zayn o que estava acontecendo. Ele apenas disse:

- Para de ficar ligando para os problemas dos outros, eles não são da sua conta - e então entrelaçou nossos dedos, voltando a conversar com os seus amigos.

Juro que se eu não estivesse tão apaixonada por ele, o bateria ali mesmo. Um tapa não faria mal a aquele rosto macio. Então olhei novamente para a (S/N), no mesmo momento em que ela olhou para mim e deu um sorriso triste, o que me contagiou, então tentei me afastar do Zayn e ir para o lado da minha amiga, mas quem disse que ele queria soltar?

LEIAM QUE É IMPORTANTE!
Hey, hey.
Salve, salve as leitoras do Brasil!!!
Um anônimo no capítulo anterior veio reclamar
dizendo que eu demoro muito pra postar, o que é
pura verdade. Então eu fiquei triste comigo mesma
pensando que eu não tenho tanta responsabilidade
com esse blog. Então eu te agradeço querido anônimo,
porque antes eu pensava que as leitoras não ligavam
pra isso, afinal ninguém é vidrado 7 dias da semana
em um site de fanfics. Pra resumir, estou re-organizando
os meus horários para vir escrever e postar mais vezes.
Assim, talvez não tenham posts em número mas esses
posts vão vir com uma quantidade maior de caracteres.
É só isso, beijo, beijo minhas queridas e amadas!