Imagine com Liam Payne - Segunda parte - Agora ou nunca


- Alô? (S/N)?

- Sim, é ela.

- Sou eu, o Liam. Espero que esteja tudo bem com você, eu estou sentindo sua falta.

Foi essa frase que fez o meu mundo parar, há pouco tempo nós vinhamos trocando mensagens mais íntimas. Coisas que eu diria ao meu namorado por exemplo. E sim, ele anda indo muito bem. Acho que aprendeu a lição de escutar as pessoas.

- Está sim, como vai o clima em Londres hoje? - perguntei sorrindo e me sentando na cadeira do escritório.

- Chuvoso, em breve vai nevar. Nossa, vai fazer um ano desde que nos conhecemos.

- É sim, e sabe.. deveríamos comemorar. O que acha?

- Ainda não tenho previsão para ir aos EUA. Na verdade, ainda não posso contar nada. - disse sussurrando.

- Tudo bem. - eu respondi risonha, ele viria em breve.

- Mas que tal você vir até Londres? - perguntou já em tom normal - Já que você nunca veio até aqui porquê não conhecer a cidade da rainha com a minha companhia?

- Tem o Brian, Liam.

- Ah, aquele cara. Sério que ainda estão juntos?

- Sim Liam.

- Porque você não vê que pertence a mim? - lá vamos nós, tudo de novo.

- Liam, essa história de novo não. Vivemos em realidade diferentes, você sabe.

- Argh, tudo bem. Mas queria te dizer o verdadeiro motivo da minha ligação: queria saber se você está interessada em desenhar uma linha de roupas para as nossas directioners e boydirectioners, claro. Você topa?

E o meu mundo parou novamente, fiquei muda na linha do telefone.

- (S/N)? - peguntou em tom preocupado.

- Nossa, você me pegou de surpresa - ele riu - Liam, eu trabalho com outro tipo de roupas. Você sabe...

- Isso foi um não?

- Não! Claro que não. É que não tenho muita prática com isso.

- Tente.

- Vou fazer uns desenhos, só pra testar. Pra quando quer a resposta?

- O mais rápido possível, se você decidir de madrugada pode me ligar sem piedade de me acordar. Quero dizer, se você me ligar á noite será madrugada aqui.. - ele dizia fazendo a sua linha de raciocínio, tenho certeza que sua testa estaria franzida - Enfim, me pertube a qualquer hora.

- Pode deixar. - digo rindo.

- Tenho que desligar, até mais.

- Até.

...

- E ele te chamou pra desenhar as roupas da marca 1D? - peguntou surpresa - Garota essa é a sua chance! Você faz ideia de quantas pessoas vão comprar as roupas que você desenhar? Você vai ficar rica!

O dinheiro era o que mais me importava nesse momento, com a crise financeira no país as vendas caíram demais e não conseguia pagar as minhas contas. Brian também não tinha o melhor emprego do mundo.

- Não sei Emilly - minha voz estava fanhosa devido a gripe - Terei que ir a Londres, vou deixar você, o Peter, o Brian, o meu emprego. E se as coisas não derem certo?

- Pare de pensar no lado ruim da coisa. O Brian não é criança - ela parou e olhou para o nada - quero dizer, em estado físico mas ele sabe se cuidar sozinho - rimos. - Eu posso vir cuidar dele de vez em quando - e fez algumas insinuações de sexo.

- Em, sua biscate! - rimos ainda mais - Meu namorado não!

- Enfim amiga, tudo vai dar certo. Liga pra ele. - pegou o meu telefone e me entregou, comecei a discar e escutei a porta ser aberta.

- Oi amor! - era o Brian - Em, tudo bem? - cumprimentou ela com um beijo na bochecha, ela assentiu. - O que estão fazendo? - veio até mim e me deu um beijo na testa.

- Planejando o futuro.

- Ah, sim. - caminhou até a cozinha. - E quais são os planos?

Emilly olhou até mim com cara de dúvida, sussurrou "ainda não contou pra ele?" e eu neguei.

- Amor? Está aí? - perguntou falando mais alto.

- Estou.

- Então responde, ué.

- Foram só algumas expectativas. Planos, concursos, essas coisas.

- Ah.

Então ele passou por nós mordendo um sanduíche, e de meias. Essa era uma mania que ele tinha desde sempre. Quando chegava do trabalho ia até a cozinha, se descalçava e preparava alguma coisa prática, ia até o quarto apenas de meias e assistia um pouco de tevê, tomávamos um banho juntos e namorávamos, então logo adormecíamos.

- Conta pra ele o quanto antes, viu.

- Tenho medo dele se chatear e desconfiar de alguma coisa entre mim e o Li - ela arqueou uma sobrancelha.

- E não rola nada entre vocês?

- Sou uma garota crescida Em, tenho minhas responsabilidades. Nunca teria coragem de trair o Brian.

- Vontade é o que não falta não é, com um cara como aquele batendo á sua porta - disse risonha.

- Não, não seria capaz de fazer isso. Melhor você ir embora e cuidar do seu filho - fez uma expressão triste, se arrependendo do que tinha dito - Me desculpe, mas tenho algumas coisas pra resolver agora.

Emilly assentiu e saiu sem cerimônias, caminhei até o quarto e vi o garoto sendo usual. Dei um suspiro alto e ele nem notou minha presença, após meia volta fui até a cozinha e comecei a desenhar.

- Amor?

- Hum?

- Acorda, vamos pro quarto - segurou a minha mão e me carregou até a cama, deitou-se e me deu beijo longo.

Já de manhã, acordei com uma sensação boa como se tivesse tido um sonho lindo. Era tarde e o Brian já teria saído para trabalhar, me despreguicei e caminhei até os desenhos sorrindo, liguei para o Liam.

- Alô? Liam?

- Não, aqui é a Sophia. Quem fala?

- Aqui é a (S/N), amiga do Liam, me desculpe incomodar mas ele está? - perguntei receosa.

- Sim, espera só um minuto.

Dito isso escutei alguns sussurros e passos, até a minha voz favorita ser ecoada pela linha telefônica.

- (S/N)? Oi, como vai? Pensou na resposta?

- Sim Liam, eu pensei. - sorri - Eu quero muito ir e acho que tenho capacidade de desenhar para vocês, fiz alguns desenhos ontem á noite, estão bons.

- Que ótimo. Não quer me mandá-los pelo fax? Ou e-mail? - disse depois de uma pausa - Preciso mostrá-los para a diretoria.

- Claro - falo depois de hesitar - Até logo.

...

Três semanas depois eu chego em casa cansada de mais um dia de trabalho. Fazia os desenhos do vestido e as roupas ao mesmo tempo, disseram que precisavam de uma seleção de modelos maior para poder escolher então a cada respiração eu busco um modo de me inspirar para tantas coisas.

- Brian? - o silêncio era absoluto, o que me assustava. - Brian?

Andei mais um pouco, as janelas estavam abertas então ele estaria no apartamento. Não era do seu costume sair e deixá-las abertas. Depois de alguns segundos de frio na barriga, o encontro sentado na cama lendo uma carta de expressão séria.

- Porquê não me disse antes? - continuava observando a carta.

- O que eu não te disse antes?

- Que você estava trabalhando para a One Direction, que pretendia ir para Londres em alguns dias. Porquê não me contou?

- Me desculpe.

- É só isso o que tem a me dizer? - me olhou indignado.

- Eu pretendia te contar, mas nunca parecia ser a hora certa, eu nunca estava com vontade de te contar.

- E preferia que eu soubesse assim? Do nada?

- Não era a minha intenção amor. Todos os dias eu ia te contar, mas sempre deixava para o amanhã.

Ele se levantou e foi para a varanda, observei a carta curiosa e havia uma passagem de avião para a Europa daqui há alguns dias. A carta vinha da empresa dos meninos e junto nela um bilhete do garoto londrino que dizia estar ansioso. Eu pisei na bola com o Brian, deveria tê-lo dito.

- Vai ficar aí congelando? - depois de algum tempo ele continuava parado olhando para o nada.

- Vou.

- Para de birra. Eu sei que fiz mal, mas não há mais nada para se fazer.

- Só tem uma passagem, eu vou depois ou eu vou ficar aqui? - suspirei - Acha melhor terminarmos, não acha?

Fiquei em silêncio, não queria abrir mão dele.

- Eu não quero terminar, mas vai ser melhor para não estarmos presos um ao outro.

- Pra você não se sentir culpada quando estiver com o tal do Liam Payne.

- Ele tem namorada Brian.

- Você também é comprometida, e isso não o impediu de lhe dar umas cantadas. Acha que eu não vejo quando você sorri boba trocando mensagens com ele? Costumava ser o mesmo jeito bobo que você tinha quando lia as minhas mensagens, ou quando eu dizia alguma coisa engraçada.

Suspiramos juntos.

- Além do mais, tem uma garota chamada Clarisse. Ela está na minha, e ela é muito gata.

Sorrimos juntos.

- Amigos? - eu perguntei estendendo as mãos.

- Só se eu ainda puder te dar uns pegas - rimos e nos abraçamos. Então esse foi o nosso fim?

- Alguns meses depois -

- Não Liam! - eu gritava com ele - Você disse que estaria aqui. Mas você não está, você nunca está.

- Me espera (S/N), fica aí.

- E você acha que eu vou para onde? Me diz!

Desliguei na cara dele. Estava cansada de tantas desculpas que ele me dava para não terminar com a megera, era meu aniversário e ele não veio. Já era a segunda mancada. A primeira foi quando marcamos de sair juntos, mas o esperei durante duas horas com uma salada fria no prato branco. Ele não aparecia.

Levei a minha mão á cabeça pensando em voltar aos Estados Unidos, afinal, eu já tinha conseguido o que mais queria aqui, dinheiro. Como as adolescentes compravam tudo o que eles tivessem, a coleção havia sido um sucesso e esgotado das lojas parceiras e oficiais nas primeiras semanas. Não havia mais nada a se fazer aqui.

- Está bem? - Niall perguntou passando suas mãos nas minhas costas, estávamos no banheiro do andar de cima.

- Não.

- As pessoas estão notando que tem algo errado, o Liam já vai vir. Vamos descer e nos distrair.

- Não, ele não vai.

- Vamos descer.

- Eu só não o entendo.

- Vamos.

Me puxou e descemos devagar. Os poucos conhecidos circulavam pelo andar debaixo, descia as escadas tentando sorrir com o meu batom vermelho, e o meu vestido de festa.

- (S/N), está tão linda! - Harry disse me girando, todos os seus amigos estavam aqui, menos o mais importante.

- Obrigada Harry.

- Hum, que vestido lindo. Foi você que desenhou? - sua acompanhante morena, Kendall, perguntou.

- Sim.

- Poderia desenhar um pra mim? - perguntou feliz.

- Claro.

- Não é hora de falar sobre isso querida, vamos beber alguma coisa - disse Harry a puxando pelos ombros.

Continuei andando pela festa e embora escutasse as gargalhadas dos convidados ela parecia estar tão chata, as horas se passavam e a minha garganta se fechava conforme eu esperava pela sua chegada. Mas ele não vinha.

- Vamos cortar o bolo, (S/N), o Niall está com fome.

Ele assentiu abraçando a Barbara de lado.

- Ok.

Engoli a seco e andei até a mesa do bolo, e então com a ajuda dos nossos amigos ascendemos as velas e cantamos parabéns, não tinha a mesma graça que em português, mas já era uma coisa. Comemos, conversamos, brindamos, e então todos foram embora.

- Alô?

- Oi (S/N), sou eu, o Brian - escutei sua risada - Me desculpa por estar ligando assim tarde, mas queria te desejar um feliz aniversário. Como vão as coisas por aí?

- Não vão muito bem - sorrio - o Liam não apareceu.

- O quê?

- Eu também fiquei surpresa.

- Que triste, poxa.

- Eu sei. Obrigada por se lembrar, a gente conversa mais amanhã. Vou dormir um pouco pra tirar essa dor de cabeça.

- Está bem, até mais.

Desliguei e me deitei na cama, pensando em o quanto tive de trabalho para deixar esse dia perfeito, estive quase lá.

"(S/N)!", "(S/N)!".

Escutava alguém me chamando, então me levantei da cama e olhei de relance pela janela assustada. Era o Liam. Fiquei tão feliz ao vê-lo ali embaixo, que desci as escadas daquela casa correndo, nem lembrando no momento que ainda estava vestida para a festa, apenas um pouco desajeitada. Me olhei no espelho perto da porta principal e ele continuava a gritar o meu nome, deveria pensar que eu estava o ignorando, e eu queria estar.

- Ei, não acha que gritando assim vai acordar os meus vizinhos vagabundo? - ele se assustou e riu, talvez do meu jeito grosseiro de chamar a sua atenção, ou de alívio pensando que me importava por ele estar parado no meu jardim. - É madrugada, o que você quer aqui?

- Você.

Eu sorri.

- Eu vim até aqui, me ajoelhar pra você e te dizer que eu finalmente terminei com a Sophia. Que não sei por quais motivos demorei tanto pra tomar a iniciativa de estar com você agora. E peço desculpas por ter faltado nesses momentos importantes da sua vida, eu tinha planos para essas duas noites mas é como se algo tivesse me impedido de fazê-los. Quero me tornar alguém melhor ao seu lado e nada melhor do que você aceitar o meu pedido. (S/N), você aceita namorar sério comigo?

Ele tinha os braços abertos para mim naquele momento, tentava sorrir mas eu já conhecia o seu modo nervoso. Não havia anel ali, mas havia algo maior, o seu coração.

- Não acha que começamos a nossa história de um jeito inusitado?

- Ainda não começamos - disse receoso.

Dei-lhe as costas e caminhei até um banco de concreto no meu jardim.

- Liam, eu seria a garota mais estúpida do universo se não aceitasse namorar com você. Mesmo depois disso tudo.

- Mesmo depois disso tudo?

- Mesmo. - assinto.

Ele se levantou com dificuldade e se sentou ao meu lado, nos abraçamos e olhamos para as estrelas por alguns segundos.

- Acho melhor você subir porque eu planejava te fazer uma serenata na sua janela, mas você desceu.

Ri.

- Que tal fazer essa serenata na nossa cama? - sorrimos maliciosos e nos beijamos.

...

- Anda que estamos atrasadas!

- Calma, a cauda está enrolada - digo me abaixando.

- Nossa, como esse vestido é pesado.

- E lindo - eu falo.

- E lindo. - Em concorda.

Namoramos durante alguns meses e ele teve a ideia de me pedir em casamento. Nada que eu não suspeitasse, já que uma vez fomos ao parque de diversões e por curiosidade fomos á uma vidente. Ela nos disse que iriamos ser um só em breve, e aqui estou. O medo percorria nas minhas veias, e tinha vontade de desistir de tanto nervoso, mas era agora ou nunca, se não eu ficava pra titia.

Acaboou. Me desculpem pela demora
gigantesca, foi bem difícil elaborar esse
imagine. Vou demorar com Apparently,
meninas. Acabei de sair dos simulados
e lá vem bomba. [Risos]. Hoje é
aniversário do daddy direction!
Muito obrigada as que comentaram
nos capítulos anteriores da fanfic.
Fiquei muito feliz e motivada! Beijoos.

4 comentários:

  1. ameiiii e e amo apparentily continua logo ela já to com saudades

    ResponderExcluir
  2. continua apparentily logo e amei o mini imagine

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar
Críticas construtivas são aceitas.
Não desrespeite as autoras do blog. Comentários ofensivos ou com linguagem imprópria serão excluídos.
Não peça para divulgar seu blog/página, existe uma página para isso aqui.
A comentário tem que ter relação com o assunto da postagem
Deixe o link do seu blog no final (sem o http) para retribuir a visita
Não aceito mais selos
Volte sempre ♥